Por Amor – Novela Rede Globo

Por Amor é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e transmitida originalmente de 13 de outubro de 1997 a 22 de maio de 1998 em 191 capítulos, com a reexibição do último capítulo em 23 de maio de 1998. Foi a 55ª “novela das oito” exibida pela emissora, substituindo A Indomada e sendo substituída por Torre de Babel.

Escrita por Manoel Carlos, com colaboração de Maria Carolina, Vinícius Vianna e Letícia Dornelles, foi dirigida por Roberto Naar, Alexandre Avancini, Ary Coslov e Edson Spinello. A direção geral foi de Roberto Naar e Ricardo Waddington, com direção de núcleo de Paulo Ubiratan, que faleceu durante a novela.

Contou com as participações de Regina Duarte, Antonio Fagundes, Gabriela Duarte, Fábio Assunção, Susana Vieira, Vivianne Pasmanter, Carolina Ferraz e Eduardo Moscovis.

Informações Gerais

Por Amor

Formato: Telenovela
Gênero: Crônica do Cotidiano
Duração: 60 minutos
Criador(es): Manoel Carlos
País de Origem: Brasil
Idioma Original: Português
Diretor(es): Ricardo Waddington / Roberto Naar
Câmera: Multicâmera
Elenco Principal: Regina Duarte / Antonio Fagundes / Gabriela Duarte / Fábio Assunção / Susana Vieira / Vivianne Pasmanter / Carolina Ferraz / Eduardo Moscovis / Paulo José / Regina Braga / Cássia Kis / Carlos Eduardo Dolabella / Murilo Benício / Carolina Dieckmann / Françoise Forton
Roteirista(s): Letícia Dornelles / Maria Carolina / Vinícius Vianna
Tema de abertura: “Falando de Amor”, Quarteto em Cy e MPB4
Localização: Rio de Janeiro / Veneza
Emissora original: Rede Globo
Formato de exibição: 480i (SDTV)
Transmissão original: 13 de outubro de 1997 – 22 de maio de 1998
Episódios: 191

 

Abertura da Novela Por Amor

 

Produção

Por Amor é uma novela urbana, com personagens da classe média do Rio de Janeiro. Os bairros da Zona Sul da cidade serviram de cenário para a história, e algumas cenas foram gravadas em Angra dos Reis, no litoral sul fluminense.

A novela teve cenas gravadas no Expresso Oriente, famoso trem que liga a Europa ocidental ao Sudeste asiático, onde apareceram Helena (Regina Duarte) e Atílio (Antonio Fagundes).

A produção exigiu o trabalho de mais de 70 atores, cenografia de 152 ambientes, 15 locações externas no Rio de Janeiro, duas fora da capital, e uma cidade cenográfica no Projac.

Enredo

Helena (Regina Duarte) é mais do que mãe: é a verdadeira amiga da filha Maria Eduarda (Gabriela Duarte), e faz de tudo para que ela aceite e ajude o pai alcoólatra, Orestes (Paulo José), de quem é separada. Mas Eduarda só tem olhos para o seu grande amor, Marcelo (Fábio Assunção). O rapaz sofre com a perseguição da ex-namorada, Laura (Vivianne Pasmanter), inconformada por haver sido trocada por Eduarda. Ela é cruel, invejosa, egoísta e desequilibrada, fará de tudo para destruir a vida do casal e dará o golpe da barriga para se vingar de Marcelo.

A mãe de Marcelo, Branca Letícia (Susana Vieira), também não gostou da escolha do filho, pois não simpatiza com Helena, que é simples demais para ela. Branca é uma mulher de personalidade forte, que adora manipular a vida alheia. Ela é dominadora, esnobe e muito arrogante. Tem adoração pelo filho Marcelo, mas vive criticando os outros dois por não terem ambição na vida: a moderna e bela jovem Milena (Carolina Ferraz) e o super tímido e atrapalhado Leonardo (Murilo Benício).

Milena tem um romance com o piloto de helicóptero Fernando (Eduardo Moscovis), mas Branca faz de tudo para separá-los, considerando que o rapaz não é do alcance social de sua família. Com a ajuda de Fausto (José Carlos Sanches), funcionário da empresa de helicóptero onde Fernando trabalha, ela consegue armar para que o piloto seja preso com drogas. Porém, Fernando é solto algum tempo depois.

Branca controla até a vida da amiga Isabel (Cássia Kis), que tem um caso com Atílio (Antônio Fagundes), um homem que está à procura de um grande amor. Branca, na verdade, é apaixonada por Atílio há muito tempo, mas nunca conseguiu se expressar e nem confessa ser apaixonada. Ela fica transtornada ao descobrir que ele apaixonou-se por Helena, mãe de Eduarda. Ela se revolta e se culpa muito por jamais ter conseguido ter coragem de se declarar por mais de 20 anos. Após um breve romance, e para o desgosto de Branca e Isabel, Helena e Atílio se casam, numa linda cerimônia.

Mãe e filha engravidam na mesma época e dão à luz no mesmo dia, hora e hospital, sob os cuidados do jovem médico César (Marcelo Serrado), um eterno apaixonado por Eduarda. O filho de Helena nasce grande e saudável, mesmo ela tendo mais de 40 anos de idade. Eduarda, com menos de 25 anos, tem sérias complicações no parto e seu filho morre horas depois de uma morte súbita. Para complicar a situação da moça, ela nunca mais poderá ser mãe, pois teve que retirar o útero por conta das diversas hemorragias que sofreu.

Desesperada em evitar esse duro golpe para a filha, Helena mostra que amor de mãe vai além de qualquer sacrifício e ela troca sua felicidade pela da filha e decide trocar os bebês, implorando a ajuda de César. Ela diz para o médico: “Vamos trocar os bebês!”. Embora relutante com a ideia, César acaba por ceder e consente a troca, culpa que ele vai carregar por toda a trama. Tanto Helena quanto César fazem a troca com um único intuito: o amor. Assim sendo, Eduarda cria o meio-irmão pensando ser seu próprio filho, enquanto Atílio sofre por pensar que seu filho com Helena morreu ao nascer. César é a única pessoa que sabe desse segredo, o qual concordou pelo mesmo objetivo que Helena: evitar o sofrimento de Eduarda. Quem mais padece, contudo, é Helena, que é obrigada a tratar o filho como neto e ainda vê o seu relacionamento com Atílio desmoronar, apesar do grande amor que os une. Ela escreve todos os acontecimentos de sua vida em um diário e é nele que está a revelação do grande segredo que Helena carrega consigo. E é acidentalmente lendo-o que Eduarda, chocada, descobre toda a verdade ao final da trama.

No final, Branca vive sozinha abandonada pela família. Laura pede para voar em um helicóptero pilotado por Nando, enteado de Orestes, e a aeronave sofre um acidente, caindo no mar. O piloto sobrevive, mas Laura não é encontrada, ficando subentendida a sua possível morte. Nando vai parar no hospital com ferimentos leves, mas termina feliz com Milena. Marcelo e Eduarda ficam juntos e pretendem adotar uma menina. Atílio decide ir embora, depois de descobrir a verdade sobre Helena e Eduarda. Na cena final, Marcelinho caminha junto com Eduarda e Marcelo, e depois corre para Helena e Atílio, reconciliados, sugerindo que o menino será criado pelos pais verdadeiros.

Trailer Novela Por Amor

Exibição

Por Amor é a novela mais reapresentada da Rede Globo com seis reprises, sendo duas no Vale a Pena Ver de Novo, duas no Canal Viva e duas no quadro Novelão dentro do Vídeo Show.

Foi reexibida no Vale a Pena Ver de Novo de 1.º de julho de 2002 a 10 de janeiro de 2003 substituindo História de Amor e sendo substituída por O Cravo e a Rosa. Durante a exibição desta reprise, o capítulo 133 que seria exibido em 1 de janeiro de 2003, não foi ao ar devido à transmissão da cerimônia de posse do presidente eleito Lula. Sendo assim, a reprise que fecharia com 140 capítulos, terminou com 139.

Foi exibida pelo Canal Viva, de 19 de maio de 2010 a 8 de fevereiro de 2011, sendo substituída por O Rei do Gado, às 16h30, em 190 capítulos. Junto com Quatro por Quatro, foram as primeiras novelas a serem exibidas no canal.

Foi reexibida pelo Vídeo Show no quadro Novelão da Semana, de 10 a 21 de dezembro de 2012, substituindo América e sendo substituída por A Indomada em 10 capítulos.

Foi reexibida novamente pelo Vídeo Show no quadro Novelão, de 9 a 13 de fevereiro de 2015, em 5 capítulos com narração de Gabriela Duarte.

Foi reprisada pelo Canal Viva pela segunda vez de 8 de maio a 15 de dezembro de 2017, substituindo Pai Herói e sendo substituída por O Fim do Mundo, às 23:30. A reprise se deu em comemoração aos vinte anos de sua estreia, tendo sido a primeira novela a ser reapresentada pela segunda vez no canal.

Foi reexibida novamente no Vale a Pena Ver de Novo de 29 de abril a 11 de outubro de 2019, em 118 capítulos, substituindo Cordel Encantado e sendo substituída por Avenida Brasil. A novela não foi exibida nos dias 18 de junho de 2019, devido à transmissão do jogo entre Brasil e Itália pela fase de grupos da Copa do Mundo de Futebol Feminino e 28 de junho de 2019, por conta da cobertura das quartas de final da Copa América de 2019 entre Venezuela e Argentina. Sendo assim, a reprise que fecharia com 120 capítulos, terminou com 118. Em 16 de julho, o Ministério da Justiça interveio e mudou sua classificação indicativa de livre para não recomendada para menores de 12 anos por apresentar violência, drogas lícitas e conteúdo sexual. A reprise foi a única do autor Manoel Carlos na década de 2010.

Por Amor já foi exportada para mais de 70 países, sendo considerada uma das produções mais bem-sucedidas da emissora no mercado internacional. Foi eleita pelo jornal espanhol “20 minutos” uma das melhores telenovelas brasileiras de todos os tempos.

Gabriela e Regina Duarte na novela Por Amor
Gabriela e Regina Duarte na novela Por Amor

Elenco

Ator/Atriz:  Personagem

  • Regina Duarte: Helena Viana
  • Gabriela Duarte: Maria Eduarda Viana Greco
  • Antonio Fagundes: Atílio Novelli
  • Fábio Assunção: Marcelo de Barros Mota
  • Susana Vieira: Branca Letícia de Barros Mota
  • Vivianne Pasmanter: Laura Saboya Trajano
  • Carolina Ferraz: Milena de Barros Mota
  • Eduardo Moscovis: Fernando Gonzaga (Nando)
  • Murilo Benício: Leonardo de Barros Mota (Léo)
  • Cássia Kis: Isabel Lafayette
  • Carlos Eduardo Dolabella: Arnaldo de Barros Mota
  • Paulo José: Orestes Greco
  • Regina Braga: Lídia Gonzaga
  • Vera Holtz: Sirléia Batalha Pereira
  • Marco Ricca: Nestor Pereira
  • Carolina Dieckmann: Catarina Batalha Pereira (Caty)
  • Maria Zilda Bethlem: Flávia Nogueira Dantas
  • Ângela Vieira: Virgínia Viana Fontes
  • Odilon Wagner: Rafael Fontes
  • Flávia Bonato: Drª. Anita Duarte
  • Ângelo Paes Leme: Rodrigo Viana Fontes
  • Françoise Forton: Margarida Saboya Trajano (Meg)
  • Ricardo Petraglia: Manoel Trajano (Trajano)
  • Maria Ceiça: Márcia Maria de Jesus
  • Paulo César Grande: Wilson de Souza Grant
  • Ricardo Macchi: Genésio Labate
  • Elizângela: Magnólia Rosa de Lima
  • Tonico Pereira: Oscar Lima
  • Eloísa Mafalda: Leonar Batalha
  • Karina Perez: Rose Bragança
  • José Carlos Sanches: Comandante Fausto
  • Umberto Magnani: Antenor Andrade
  • Beatriz Lyra: Mafalda Andrade
  • Júlia Almeida: Natália Saboya Trajano
  • Clara Garcia: Simone
  • Rosane Gofman: Tadinha
  • Stella Maria Rodrigues: Zilá
  • Ingrid Guimarães: Teresa
  • Babi Xavier: Aninha
  • Cláudia Mauro: Lisa
  • Castro Gonzaga: Dr. Juvenal Moretti
  • Edwin Luisi: Dr. Alceu
  • Henri Pagnoncelli: Dr. Franco
  • Giovnna Gold: Kátia Gouveia
  • Beth Lamas: Marisa
  • Juliana Aguiar: Denise
  • Edson Silva: Fonseca
  • Alexandre Salcedo: Ângelo
  • Cláudia Paiva: Camila Lafayette
  • Paulo Carvalho: Comandante Walter
  • Mônica Martelli: Paula
  • Charle Myara: Romeu
  • Guilherme Corrêa: Zito
  • Chaguinha: Narciso
  • Lucy Mafra: Santa
  • Edyr de Castro: Elvira
  • Sandra Hansen: Vera
  • Cecília Dassi: Sandra Gonzaga Greco (Sandrinha)
  • Larissa Queiroz: Juliana Viana Fontes
  • Alessandra Aguiar: Cecília Gouveia

Participações Especiais

Ator/Atriz:  Personagem

  • Otávio Augusto: Pedro Viana
  • Beto Nasci: Alex
  • Kito Junqueira: Dr. Olavo Bragança
  • Norma Geraldy: Filomena Novelli
  • Mônica Fraga: Sílvia Pereira
  • Leonardo Lemos: Nestor Pereira Júnior (Nestorzinho)
  • Maria Alves: Maria de Jesus
  • Pablo Padilla: Marcinho
  • Paulo Figueiredo: Dr. Jaye Scliar
  • Eduardo Lago: Alfredo
  • Chica Xavier: Enfª. Chica
  • Caco Ciocler: Flavinho
  • Carla Fioroni: Noêmia
  • Lady Francisco: Madame Consuelo
  • Carlos Zara: Juiz
  • Lina Fróes: Ivete
  • Cleyde Blota: Juíza
  • Alexandra Richter: Perua no casamento de Inês
  • Carmem Verônica: Perua no casamento de Inês
  • Graziela di Laurentis: Renata
  • Guilherme Leme: Diretor do comercial com Caty
  • Henrique César: Dr. Murilo
  • Ilva Niño: Dalva
  • John Herbert: Durval
  • Jorge Cherques: Lourenço
  • Lucy Freitas: Saudade
  • Marcos Paulo: Empresário
  • Orã Figueiredo: Oliveira
  • Tânia Scher: Mônica
  • Othon Bastos: Advogado de Nando
  • Totia Meirelles: Dona da rede de motéis
  • Nica Bonfim: Faxineira que depõe a favor de Nando
  • Norton Nascimento: Padre
  • Roberto Frota: Paquerador de Sirléia
  • Sebatião Vasconcelos: Padre do casamento de Eduarda e Marcelo
  • Serafim Gonzalez: Padre
  • Roberto Costa: Amigo que encontra Atílio em Veneza
  • Patrícia Salgado: Marli

Trilha Sonora

Nacional

Capa: Ricardo Macchi (Genésio)

A trilha nacional alcançou estrondo sucesso, com mais de meio milhão de cópias vendidas. Além disso, o álbum impulsionou as canções “Palpite”, “Só Você”, “Fora da Lei” e “Per Amore” entre os mais executados pelas rádios em 1997.

Por Amor - Capa Nacional

 


Lançamento:
1997
Gênero(s): MPB
Formato(s): CD / Cassete
Gravadora(s): Som Livre
Produção: Alberto Rosenblit

 

Nº. Título – Música / Personagem / Duração 

1. “Só Você” – Fábio Júnior / Nando” / 03:53
2. “Sempre Há Saída” – Luiz Carlos / Genésio / 03:55
3. “Nem um Dia” – Djavan / Marcelo e Eduarda / 04:17
4. “Palpite” – Vanessa Rangel / Milena / 03:50
5. “Enquanto Espero” – João Bosco / Branca / 04:17
6. “Abrazame Así” – Roberto Carlos / Léo / 04:40
7. “Fora da Lei” – Ed Motta / Caty / 04:47
8. “Paralelas” – Elba Ramalho / César / 03:38
9. “Falando de Amor” – Quarteto em Cy e MPB4 / Abertura / 03:21
10. “Per Amore” – Zizi Possi / Helena e Atílio / 04:21
11. “Bandeira” – Zeca Baleiro / Isabel e Arnaldo / 03:24
12. “Preconceito” – Maria Bethânia / Wilson e Marcia / 02:16
13. “Às Vezes Nunca” – Verônica Sabino / Laura / 04:05
14. “Mudança dos Ventos” – Nana Caymmi / Sirléia e Nestor / 02:32

Internacional

Capa: Eduardo Moscovis (Nando)

por amor capa internacional

 


Lançamento:
1998
Gênero(s): Pop / Rock
Formato(s): CD / Cassete
Gravadora(s): Som Livre
Produção: Alberto Rosenblit

 

 

Nº. Título – Música / Personagem / Duração 

1. “So Help Me Girl” – Gary Barlow / Nando / 04:24
2. “Stay With Me” – Jocelyn Enriquez / Laura / 03:45
3. “Mi Dios y Mi Cruz” – Donato & Estefano / Pedro e Sirléia / 04:44
4. “More Than This” – 10.000 Maniacs / Milena / 04:02
5. “L’Amore Vero” – Erminio Sinni / Atílio 04:23
6. “Dindi” – El Debarge & Art Port / Flávia / 04:57
7. “Paint My Love” – Michael Learns to Rock / Wilson e Márcia / 03:46
8. “How Could an Angel Break My Heart” – Toni Braxton / Eduarda e Marcelo / 04:18
9. “Aicha” – Gilbert / Meg / 03:47
10. “I’m Not Giving You Up” – Evelyn Fox / Isabel / 03:47
11. “Hold On” – Alexia / Caty e Léo / 03:45
12. “As Long As You Love Me” – Backstreet Boys / Rodrigo e Caty / 03:38
13. “Se Eu Fosse Um Dia Esse Teu Olhar (Si Fuesse Un Dia Tu Mirar)” – Pedro Abrunhosa / Rafael e Alex / 05:32
14. “Thinking of You” – Different Beat / Genésio e Magnólia / 03:29

Repercussão Pública

A personagem Maria Eduarda, vivida por Gabriela Duarte, não agradou aos telespectadores no início da novela. Mediante isso, eles começaram a fazer campanhas contra a personagem, pedindo até a sua morte em um site na Internet, onde o leitor podia jogar estilingues e tomates na boneca que representava a personagem, tamanho ódio que gerou do público — isso na era ‘’pré-histórica’’ da Internet. Em entrevista, a atriz afirmou que essas campanhas não a atingiam pessoalmente, visto que envolvia apenas sua personagem na novela, considerando assim uma polêmica saudável. A personagem conquistou o telespectador a partir da metade da trama, fazendo com que o público pedisse para que ela permanecesse na novela até o fim.

Outro momento inesquecível da trama foi a famosa troca dos bebês, realizada pela protagonista Helena (Regina Duarte), no capítulo 52, exibido em 11 de dezembro de 1997.. Em 22 de maio de 1998 houve a cena em que Maria Eduarda e Atílio (Antônio Fagundes) finalmente descobrem a troca dos bebês, mobilizando o país.

Outro momento de destaque foi a briga entre a vilã Branca (Susana Vieira) e a executiva Isabel (Cássia Kis Magro), no capítulo 128, no ar em 10 de março de 1998

A cena da troca de bebês feita por Helena (Regina Duarte) e César (Marcelo Serrado) chegou a causar polêmicas e mal-estar entre os médicos. Eles afirmavam que a troca era caso de polícia, e que César representava um médico ilícito e antiético, um mau exemplo para os profissionais. O destino do bebê Marcelinho mobilizou o público na época de exibição. Foram feitas várias enquetes, debates e até bolões sobre qual seria o destino da criança trocada na maternidade pela protagonista Helena (Regina Duarte).

Uma das cenas mais lembradas da novela é a de Maria Eduarda (Gabriela Duarte) atirando a antagonista Laura (Vivianne Pasmanter) na piscina, de cadeira de rodas. A sequência foi exibida no capítulo 4, no ar em 16 de outubro de 1997.

Além do drama impactante da troca dos bebês, considerado atemporal por críticos especializados, Por Amor teve muitos personagens marcantes e presentes até hoje na memória afetiva do público, como o par Nando e Milena, vividos respectivamente por Eduardo Moscovis e Carolina Ferraz, que se tornou um dos casais mais queridos das telenovelas brasileiras; a vilã Branca Letícia de Barros Mota, interpretada por Susana Vieira, que faz sucesso até hoje, sendo reverenciada como uma das grandes vilãs da teledramaturgia; o drama do alcoolismo, protagonizado por Orestes (Paulo José), juntamente com sua filha, Sandrinha, vivida por Cecília Dassi, e esposa, Lídia, personagem de Regina Braga; Léo (Murilo Benício), o patinho feio da família Barros Mota, que despertou a afeição do público; a obcecada Laura (Vivianne Pasmanter), na luta pelo seu amor incondicional por Marcelo (Fábio Assunção); os pais de Laura, Meg (Françoise Forton) e Trajano (Ricardo Petraglia), um casal divertido de emergentes sociais; dentre outros. A novela também tocou em questões sociais fortes, como a bissexualidade, por intermédio do personagem Rafael (Odilon Wagner), casado com Virgínia (Ângela Vieira) e que desperta para um romance com um rapaz, Alex (Beto Nasci), ao longo da história.

Em Por Amor, Manoel Carlos soube desenvolver muito bem e de forma eficaz temas pesados como preconceito racial, bissexualidade, aborto, jogo do bicho, troca de bebês, preconceito social, distinção de filhos por uma mãe, traições, alcoolismo e a sonegação de impostos — com muita leveza e espiritualidade do texto. Falou também dos emergentes sociais, em voga no final dos anos 1990, e abordou o amor incondicional pelos animais, por meio da emergente Meg, vivida por Françoise Forton, que tratava a cadelinha Inez como filha.

Maria Eduarda em cena Por Amor
Maria Eduarda com bebê na maternidade

Audiência

Exibição Original

O primeiro capítulo de Por Amor teve uma média de 48 pontos de Ibope. O penúltimo capítulo, em 21 de maio de 1998, registrou 58 pontos, com picos de 63, enquanto o último capítulo teve média de 57 pontos. A trama teve uma média final de 43 pontos.

Reprises

Primeira Reprise

A média final da reprise no Vale a Pena Ver de Novo em 2002 foi de 21 pontos. O último capítulo, exibido em 10 de janeiro de 2003, registrou 36 pontos de média, superando a novela das oito da época, Esperança.

Segunda Reprise

A segunda reapresentação estreou em 29 de abril de 2019, com 18,9 pontos de média, o melhor resultado do Vale a Pena Ver de Novo em dez anos, desde a primeira reprise de Senhora do Destino em 2009, que marcou 20 pontos. Além disso, representou um aumento de 6 pontos em relação à reprise anterior, Cordel Encantado, que estreou com 13,7 pontos. No primeiro mês a novela obteve o melhor desempenho da faixa dos últimos oito anos, com médias na casa dos 16 e 17 pontos, índices estes não vistos desde a segunda reprise de Mulheres de Areia (2011) e, nos quatro meses seguintes, acumulou o melhor resultado em dez anos. Em 4 de julho, registrou 21 pontos, sua maior audiência do dia. Em 19 de agosto, registrou 22 pontos. A partir de sua reta final entre a segunda quinzena de agosto e o mês de setembro, os índices aumentaram surpreendentemente, passando a oscilar entre 18 e 20 pontos, alavancando a média das atrações seguintes e apresentando o melhor resultado dos últimos dois anos nas tardes da Globo. Em 7 de outubro de 2019 alcançou 24 pontos, melhor desempenho desde o último capítulo de Alma Gêmea em 12 de março de 2010, que atingiu 30 pontos. Em 8 de outubro de 2019, registrou os mesmos 24 pontos com a cena do acidente de helicóptero de Laura, superando a inédita Éramos Seis. Em 9 de outubro de 2019 registrou 22 pontos, superando mais uma vez a novela das seis. O penúltimo capítulo registrou 22 pontos e o último capítulo 19 pontos, não batendo o recorde esperado, porém teve o segundo melhor desfecho da faixa na década. Teve média geral de 18 pontos.

 

Maneco fala sobre a novela

Curiosidades

“O que você seria capaz de fazer por amor?” era o mote da campanha publicitária para o lançamento da novela.

Regina Duarte vivia, pela segunda vez, uma Helena de Manoel Carlos – a primeira fora em História de Amor (1995). Para a atriz, inclusive, Por Amor teria sido “História de Amor 2”, por conta da abordagem entre a relação mãe e filha. A terceira Helena da atriz viria depois, em Páginas da Vida (2006). O nome, utilizado pelo autor em quase todas as suas novelas desde Baila Comigo (1981), tornou-se uma marca de estilo e dá unidade à sua obra, criando um laço entre as fortes e encantadoras “heroínas de classe média”, como costuma caracterizar suas Helenas. Somente em Sol de Verão (1982) o autor não incluiu uma Helena em sua história.

A sinopse de Por Amor foi escrita em 1983,  logo após a novela Sol de Verão, que Maneco não concluiu por conta da morte do ator Jardel Filho. Mas a trama foi adiada, pois o escritor mudou de emissora, indo fazer a minissérie Viver a vida na TV Manchete. O argumento engavetado por anos seria utilizado 13 anos depois para marcar o retorno de Maneco ao horário nobre global.

Para essa história, o autor se inspirou no amor materno, que acredita ser o único absolutamente inquestionável.

O autor conta que se baseou em pessoas e dramas pessoais comuns para escrever as tramas e os personagens de Por Amor. Orestes (Paulo José), por exemplo, nasceu de uma conversa com um amigo seu. Os dois concluíram que toda família tem um alcoólatra, um ex-alcoólatra ou um alcoólatra em potencial.

A atriz Carolina Dieckmann fazia sua primeira parceria com Manoel Carlos vivendo a jovem Catarina. Papel que lhe renderia mais pra frente frutos memoráveis como a Camila (Laços de Família) e a Edwiges (Mulheres Apaixonadas).

O diretor Paulo Ubiratan morreu no decorrer da novela, em 28 de março de 1998. Ricardo Waddington, que já dirigia a trama, assumiu a direção-geral de Por Amor. Ele foi homenageado no encerramento do último capítulo.

A novela teve 190 capítulos escritos, mas ao todo foram 191 exibidos. A direção dividiu ao meio o roteiro do capítulo 142 e gerou um capítulo a mais.

A abertura da trama, produzida por Hans Donner, chegou a emocionar a atriz Regina Duarte, com montagens de fotos da vida pessoal e íntima da atriz e da filha, Gabriela Duarte, protagonistas da trama, e mãe e filha tanto na vida real quanto na ficção.

A atriz Lília Cabral, embora não tenha feito nenhum papel em Por Amor— por estar na novela das seis da época, Anjo Mau — apareceu na novela do início ao fim, na vinheta de abertura da trama. Numa das várias fotos que compõem a abertura, Lília aparece ao fundo, no canto superior direito, comemorando o aniversário da colega e amiga Regina Duarte.

O casal Nando e Milena, formado por Carolina Ferraz e Eduardo Moscovis, fez tanto sucesso que os atores protagonizaram meses depois a novela Pecado Capital, vivendo respectivamente Lucinha e Carlão, no remake da história.

Natália do Vale chegou a ser escalada para viver a vilã Branca. Mas a mesma recusou e foi para a novela O Amor está no Ar daquele mesmo ano, onde entrou na metade da história. Susana Vieira, que vinha de participações em Salsa e Merengue, assumiu o papel em março de 1997.

Tarcísio Meira era o primeiro ator cogitado para viver o galã Atílio, nas primeiras reuniões de elenco, em fevereiro de 1997. Com a recusa, a produção convidou Antônio Fagundes para fazer o protagonista da história.

Por Amor foi uma das poucas novelas de Manoel Carlos sem a presença do ator José Mayer no elenco. De todos os trabalhos de Maneco no período de 1995 e 2014, Mayer só não esteve presente em Por Amor, Maysa e Em Família, fazendo parte do elenco até da minissérie Presença de Anita, que o autor escreveu em 2001.

A novela enfrentou a concorrência feroz do programa Ratinho Livre na sua exibição original, o que deixou a Globo atordoada. Por Amor, apesar de ser um sucesso, teve uma média de audiência considerada mediana na época, muito por conta da concorrência do programa, que passava no mesmo horário de segunda a sexta. A emissora chegou a esticar a novela por mais de quinze minutos, como no capítulo 130, exibido em 12/03/1998, uma quinta-feira, que teve 1h03 de duração. A novela também ganhou mais tempo de arte a partir da metade. Entretanto, a campeã no final dessa concorrência foi a novela — Ratinho saiu da Record, foi pro SBT, e Por Amor foi considerada um grande sucesso na época de exibição. O Jornal do Brasil, popular na época de exibição, chegou a comentar que Por Amor era a novela mais comentada do horário nobre desde Vale Tudo, exibida em 1988. A Veja comentou que a novela fez sucesso de uma maneira torta, mas foi um inegável êxito. A Folha de São Paulo tocou no fato da novela ter tido uma audiência pouco condizente com o bate-boca que causou. A Istoé, na metade da trama, apontou o sucesso que a novela fazia com as mulheres, prendendo o público com boas tramas paralelas. Os críticos especializados da Associação Paulista de Críticos de Arte, a APCA, confirmaram o sucesso: a novela, em seu conjunto, foi considerada a melhor do ano de 1997. O Troféu Imprensa também premiou a trama como a melhor daquele ano.

Os atores Eduardo Martini e Marly Bueno chegaram a ser escalados para a novela, mas ambos não participaram da trama. Eduardo foi até creditado na abertura, e Marly Bueno, atriz veterana que iniciava uma parceria com Maneco em Felicidade, foi escalada para viver a governanta Antonieta, mas a personagem foi riscada da novela, sendo substituída por outra: a empregada Vera (Sandra Hansen), cuja primeira cena foi ao ar no capítulo 56.

Christiane Torloni também chegou a ser cotada para a trama, mas não entrou na novela.

Por Amor forma, com Laços de Família e Mulheres Apaixonadas, a trilogia de maior sucesso de Manoel Carlos, com três clássicos seguidos no horário das oito, repletos de charme, bom elenco, bons temas e agilidade, presentes na direção de Ricardo Waddington, com quem mais o autor se identificava. Lamenta-se que Páginas da Vida (2006), apesar de ter sido um grande sucesso de audiência, não tenha mantido a mesma dinâmica das novelas anteriores de Maneco, iniciando a derrocada do universo do autor que veio a ser confirmada oito anos depois, com Em Família.

Manoel Carlos, após a repercussão da personagem Eduarda ser classificada como uma das personalidades mais chatas das novelas no início da trama, chegou a pensar na morte da mesma, vítima de um erro médico. Mas o mesmo público que queria vê-la morta pediu a permanência dela na novela, graças à redenção extremamente bem construída de Eduarda e à excelente atuação de Gabriela Duarte. Maneco então, manteve Eduarda viva até o fim e deixou de lado o tema da doação de órgãos (Eduarda, ao falecer, doaria as córneas para um instituto). Mas nada disso ocorreu, e Eduarda terminou a novela viva e feliz. O autor já chegou a comentar que Eduarda é uma das suas personagens preferidas, e elogiou Gabriela pelo seu desempenho.

O Autor também chegou a pensar em abordar a leucemia por meio da personagem Sandrinha, vivida por Cecília Dassi, uma criança de 7 anos, algo inédito na TV brasileira. O que não acabou ocorrendo — Maneco trocou a grave doença por um rápido atropelamento. O autor aproveitaria a enfermaria para retratar a história da personagem Camila, vivida por Carolina Dieckmann em sua próxima novela, Laços de Família, em 2000

Prêmios e Indicações

Troféu APCA – 1997

  • Melhor Telenovela: Venceu
  • Revelação Feminina do Ano: Cecília Dassi – Venceu

Troféu Imprensa – 1998

  • Melhor Telenovela: Venceu
  • Melhor Atriz: Regina Duarte – Indicado
  • Melhor Ator: Antonio Fagundes – Indicado
  • Revelação do Ano: Cecília Dassi – Indicado

Melhores do Ano – 1998

  • Melhor Atriz: Regina Duarte – Indicado

Prêmio Extra de Televisão – 1998

  • Melhor Atriz: Susana Vieira – Venceu

Prêmio Contigo! de TV – 1998

  • Melhor Telenovela: Venceu
  • Melhor Autor: Manoel Carlos – Venceu
  • Prêmio Contigo” de TV de melhor atriz de novela: Regina Duarte – Indicado
  • Melhor Ator: Antônio Fagundes – Venceu / Fábio Assunção – Indicado
  • Melhor Atriz Coadjuvante: Carolina Ferraz – Indicado / Gabriela Duarte – Indicado
  • Melhor Ator Coadjuvante: Eduardo Moscovis – Indicado
  • Melhor Vilã: Vivianne Pasmanter – Indicado
  • Melhor Atriz Infantil: Cecília Dassi – Venceu
  • Melhor Par Romântico: Carolina Ferraz e Eduardo Moscovis – Venceu
  • Melhor Direção de Arte: Ana Maria de Magalhães – Venceu
  • Melhor Trilha Sonora: Alberto Rosenblit – Venceu
  • Melhor Figurino: Beth Filipecki – Venceu
  • Melhor Abertura: Hans Donner – Venceu

Fotos da Novela

Regina Duarte em Veneza
Regina Duarte em Veneza

 

Susana Vieira como Branca
Susana Vieira como Branca

 

Eduardo Moscovis Por Amor
O piloto de Helicóptero Nando

 

Regina Duarte com bebê
Helena com bebê na maternidade

 

Atílio e Duda com Marcelinho
Atílio e Maria Eduarda com Marcelinho

 

Fábio Assunção como Marcelo
Fábio Assunção como Marcelo

 

Gabriela Duarte como Maria Eduarda
Gabriela Duarte como Maria Eduarda

 

Helena e Atílio
O Casal Protagonista: Helena e Atílio

 

Novela Por Amor
Foto de Divulgação da Novela

 

Nando e Milena
Nando e Milena

 

ViVianne Pasmanter por amor
Vivianne Pasmanter como Laura

 

maria eduarda empurra laura na piscina por amor
Famosa cena onde Eduarda empurra Laura(na cadeira de rodas) na piscina

 

Carolina Dieckmann, Maria Ceiça e Vera Holtz por amor imagoi
Carolina Dieckmann, Maria Ceiça e Vera Holtz em Por Amor

 

Cássia Kis em Por Amor
Cássia Kis em Por Amor

 

maria eduardo le diario helena por amor imagou
Cena em que Eduarda lê o diário da mãe e descobre sobre a troca dos bebês

 

Murilo Benício, Carolina Ferraz, Antônio Fagundes e Susana Vieira em Por Amor
Murilo Benício, Carolina Ferraz, Antônio Fagundes e Susana Vieira em Por Amor

 

Cecília Dassi em por amor
Cecília Dassi vivendo a eterna Sandrinha de Por Amor

 

Françoise Forton e Vivianne Pasmanter por amor
Françoise Forton e Vivianne Pasmanter em Por Amor

 

Ricardo Petraglia e Françoise Forton
Ricardo Petraglia e Françoise Forton em Por Amor

 

helena e o medico César por amor imagoi
A famosa cena “Vamos trocar os bebês”

 

Regina Duarte, Murilo Benicio e Carolina Dieckmann por amor imagoi
Regina Duarte, Murilo Benicio e Carolina Dieckmann em Por Amor

 

marco ricca e vera holtz em Por Amor
Marco Ricca e Vera Holtz em Por Amor

 

Lilia Cabral no canto superior direito
Lilia Cabral no canto superior direito na abertura da novela

 

Cena Final da Novela
Cena final da novela

Vídeos / Entrevistas

Bastidores de Por Amor

Alguns erros de gravação

Susana Vieira narra história de sua personagem na novela

Entrevista com Susana Vieira sobre a Vilã Branca

Cidade Cenográfica de Por Amor

Fontes / Referências: Wikipedia, IMDB, além da pesquisa do site Imagoi.