Psicoce (1960)

Um filme de suspense norte-americano de 1960 a Psycho (bra: Psicose; prt: Psico), dirigido por Alfred Hitchcock, e estrelado por Anthony Perkins, Vera Miles, John Gavin e Janet Leigh. Escrito por Joseph Stefano, baseado em um romance homônimo de Robert Bloch, que este por sua vez foi vagamente inspirado nos crimes do assassino de Wisconsin, Ed Gein. Hitchcock comprou anonimamente os direitos do livro de Robert Bloch, que deu origem ao roteiro do filme; ele pagou onze mil dólares e depois comprou todas as cópias disponíveis no mercado para que não fosse lido por ninguém, consequentemente, assim o seu final não seria revelado. Psicose teve um custo de 800 mil dólares e faturou 60 milhões de dólares nas bilheterias do mundo inteiro.
Marion Crane , trabalhadora de escritório em Phoenix, está farta da maneira como a vida a tratou. Ela tem que encontrar seu amante Sam na hora do almoço, e eles não podem se casar porque Sam tem que dar a maior parte de seu dinheiro como pensão alimentícia. Numa sexta-feira, Marion é encarregada de depositar quarenta mil dólares por seu empregador. Vendo a oportunidade de pegar o dinheiro e começar uma nova vida, Marion deixa a cidade e se dirige à loja de Sam na Califórnia. Cansada após a longa viagem e apanhada por uma tempestade, ela sai da rodovia principal e para no Bates Motel. O motel é administrado por um jovem tranquilo chamado Norman, que parece ser dominado por sua mãe.
Quando feito originalmente, o filme foi recebido como um afastamento da produção anterior de Hitchcock, depois de ter sido filmado com um baixo orçamento, junto a uma equipe de televisão e em preto e branco. Psicose recebeu ino início críticas mistas mas, em razão ao grande resultado de bilheteria, o filme obteve uma reconsideração que o levou à aclamação da crítica e quatro nomeações ao Óscar, incluindo Melhor Atriz Coadjuvante para Leigh e Melhor Diretor para Hitchcock.

Trailer Psicose

Hoje o filme é considerado um dos melhores de Hitchcock e elogiado como uma obra de arte cinematográfica por críticos internacionais de cinema e estudiosos da área. Classificado entre os melhores filmes de todos os tempos, ele estabeleceu um novo nível de aceitação para a violência, comportamento desviante e sexualidade nos filmes americanos. Após a morte de Hitchcock em 1980, a Universal Studios distribuiu três sequências, um telefilme, um remake e uma série de TV.
Em Portugal e no Brasil, antes da estreia do filme, houve um rumor lançado pela Imprensa que o filme chamaria de “O Filho que Era a Mãe”. De imediato a Inspecção dos Espectáculos desmentiu o facto em público, informando que o filme chamaria “Psico”, com estreia imediata a 22 de Novembro de 1960. A estreia do filme foi um sucesso. Nas ruas ecoava a piada sobre o filme, se seria de “Psico” ou “O Filho que Era a Mãe”. Mais tarde, o filme, em Portugal, foi exibido na televisão portuguesa através da RTP1, à meia-noite de Sábado, dia 30 de Abril de 1988, na rubrica “Cinema da Meia Noite”.
Em 1992, a Biblioteca do Congresso, considerou o filme “culturalmente, historicamente, ou esteticamente significante” e selecionou-o para preservação no National Film Registry.

Informações Gerais

psicoceBrasil:Psicose
Portugal:Psico
Estados Unidos: 1960
Duração: 109 min
Direção: Alfred Hitchcock
Produção: Alfred Hitchcock
Roteiro: Joseph Stefano
Baseado em: Psycho, de Robert Bloch
Elenco: Anthony Perkins
Janet Leigh
Vera Miles
John Gavin
Martin Balsam
Género: suspense
Música: Bernard Herrmann
Cinematografia: John L. Russell
Direção de fotografia: John L. Russell
Direção de arte: Joseph Hurley
Robert Clatworthy
Figurino: Helen Colvig
Edição: George Tomasini
Companhia(s) produtora(s): Shamley Productions
Distribuição: Paramount Pictures (lançamento original)
Universal Pictures
(direitos adquiridos em 1962)
Lançamento: Estados Unidos 16 de junho de 1960
Brasil 25 de agosto de 1960
Idioma: inglês
Orçamento: US$ 800 mil
Receita: US$ 60 milhões
Cronologia: Psycho II (1983)

Enredo

A secretária Marion Crane (Janet Leigh) rouba 40 mil dólares do patrão dela dono da imobiliária onde trabalha, em Phoenix (Arizona). Ela deveria depositar este dinheiro e depois ir para casa, porém, pega o pacote e leva consigo o dinheiro pretendendo pagar as dívidas de seu amante, certa de que o seu crime só iria ser percebido após o final de semana. Com pouco mais de dois dias para fugir, Marion sai dirigindo sem destino pelas estradas, quando começa uma tempestade e vai parar no Motel Bates, um lugar deprimente, que quase fechou suas portas após o desvio da autoestrada.
Lá, é recepcionada por um simpático e muito estranho, tímido rapaz, Norman Bates (Anthony Perkins), Norman convida Mary para comerem um sanduíche com leite em sua casa, mas sua mãe diz que não quer que ele com Mary, porém eles jantam em uma saleta. Depois disso, Mary decide tomar um banho, mas é brutalmente esfaqueada pela mãe de Norman. Preocupada com o desaparecimento da irmã, Lila Crane (Vera Miles), faz de tudo para tentar encontrar a então desaparecida Mary, junto com o namorado da irmã, Sam Loomis (John Gavin) e o detetive Arbogast (Martin Balsam). Mas, quando este tenta falar com a mãe de Norman, ela também o assassina com facadas.

Cena do chuveiro

Depois, Lila e Sam vão até o xerife da região, Al Chambers (John McIntire), e ficam sabendo que a mãe de Norman estava morta há mais de dez anos. Então, se a mãe de Norman Bates está morta, surge a dúvida sobre quem teria matado Marion. Lila e Sam vão até o motel, e descobrem algo impressionante: Norman Bates assassinou a mãe, mas, para mantê-la viva em sua mente, roubou seu cadáver, e tem dupla personalidade, fala e age como a mãe, principalmente quando se interessa por uma mulher a sua personalidade de mãe fica com ciúme e mata-a.

Elenco

  • Anthony Perkins – Norman Bates
  • Janet Leigh – Marion Cran
  • Vera Miles – Lila Crane, irmã de Marion
  • John Gavin – Sam Loomis
  • Martin Balsam – Detetive Arbogast
  • John McIntire – Xerife Al Chambers
  • Simon Oakland – Dr. Fred Richmond
  • Vaughn Taylor – George Lowery, chefe de Marion
  • Frank Albertson – Tom Cassidy, dono do dinheiro
  • Lurene Tuttle – Eliza Chambers, esposa do xerife
  • Pat Hitchcock – colega de trabalho de Marion
  • John Anderson – vendedor
  • Mort Mills – policial

Produção

Desenvolvimento

Psycho foi escrito com base em um romance de mesmo nome de 1959 de Robert Bloch, o qual foi vagamente inspirado no caso do assassino e ladrão de túmulos Ed Gein. Tanto Gein, que viveu a apenas 40 milhas de distância de Bloch, quanto o protagonista da história, Norman Bates, eram assassinos solitários em locais rurais isolados. Ambos tiveram as mães dominadoras já falecidas, que isolavam os filhos em um quarto em sua casa como um santuário para elas e os vestiam com roupas femininas. No entanto, ao contrário de Bates, Gein não é estritamente considerado um assassino em série, tendo sido acusado de homicídio somente duas vezes.

Norman Bates
Anthony Perkins interpreta Norman Bates

Peggy Robertson, assistente de longa data de Hitchcock, leu a avaliação positiva de Anthony Boucher do romance de Bloch e decidiu mostrar o livro a seu empregador, mesmo que os roteiristas do estúdio da Paramount Pictures tenham já rejeitado sua premissa para um filme. Hitchcock adquiriu os direitos para o romance por 9.500 dólares americanos e teria ordenado Robertson a compra de cópias para preservar surpresas do romance. Hitchcock, que tinha vindo a enfrentar concorrentes do gênero cujas obras foram criticamente comparados com a sua própria, estava buscando um novo material para se recuperar de dois projetos abortados com a Paramount, Flamingo Feather e No Bail for the Judge. Ele não gostava das demandas salariais das estrelas e confiava apenas em algumas pessoas para escolher o material prospectivo, incluindo Robertson.

Imagem do motel Bates
O Motel Bates

Os executivos da Paramount recusaram a proposta de Hitchcock com seu orçamento habitual. Em resposta, Hitchcock se propôs filmar Psicose de forma rápida e barata em preto e branco usando a tripulação da sua série de televisão Alfred Hitchcock Presents. Os executivos da Paramount rejeitaram esta abordagem custo-consciente, reivindicando seus estágios sonoros que foram reservados, embora a indústria estava em uma queda. Hitchcock rebateu ele pessoalmente financiando o projeto e filmando-o no Universal-International usando sua equipe Shamley Productions e a Paramount ficando apenas para distribuir. Em vez de sua habitual taxa de 250 000 dólares americanos do diretor, ele propôs uma participação de 60% no filme negativo. Esta oferta combinada foi aceito e Hitchcock foi adiante apesar das advertências do produtor Herbert Coleman e o executivo Joan Harrison da Shamley Productions.

Recepção

Recepção na época

As críticas do filme foram completamente misturadas Bosley Crowther, do The New York Times , escreveu: “Não há uma abundância de sutileza ou o recentemente conhecido Hitchcock se inclina para cenários significativos e coloridos neste trabalho obviamente de baixo orçamento”. Crowther classificou os “acúmulos lentos de choques repentinos” como melodramáticos com segurança, mas contestou os pontos psicológicos de Hitchcock, remanescentes dos estudos de Krafft-Ebing , como menos eficazes. Embora o filme não tenha sido concluído satisfatoriamente para o crítico, ele elogiou as performances do elenco como “justas”. Outras críticas negativas declararam “uma mancha em uma carreira honrosa”, “claramente um filme de truque” e “apenas um daqueles programas de televisão que durou duas horas”.

Júlio Chaves dubla Anthony Perkins

Avaliações Contemporâneas

Oscar 1961 (EUA)

  • Foi indicado nas categorias de melhor atriz coadjuvante (Janet Leigh), melhor fotografia, melhor direção de arte e melhor direção (Alfred Hitchcock).

Globo de Ouro 1961 (EUA)

  • Venceu na categoria de melhor atriz coadjuvante (Janet Leigh).
    Prêmio Edgar 1961 (Edgar Allan Poe Awards, EUA)
  • Venceu na categoria de melhor filme.

Ver também

  • Psycho II
  • Psycho III
  • Psycho IV: The Beginning
  • Psycho (1998)

Fotos

Alfred Hitchocok
Alfred Hitchocock e os bastidores de Psicose
Bastidores psicose
Bastidores-Psicose
Money marion
Marion money
for motion
Phycho for motion
a fuga
image da fuga
estrada fuga
psycho 1960
psicose classico
clássico Psicose
psicose
Psicose
Grane Marrion
Marion Crane
cena do filme
Host Geek
olhar critico
olhar cinéfilo Psicose
cena do chuveiro
morte no chuveiro
destaque cena chuveiro
Cena Destaque Psicose
irmã na busca de marion
filme-Psicose
Bedroom
Mother’s Bedroom
Anthony Perkins
Ator Anthony Perkins
Psycho Marion
Psycho Marion and money
Anthony
Anthony-Perkins

Fontes / Referências: WikipediaIMDb além da pesquisa do site Imagoi