A História de Ester

A História de Ester

É uma minissérie brasileira produzida e exibida pela Record TV entre 3 de março a 1 de abril de 2010 às 23h. Baseada no livro Ester daBíblia, foi escrita por Vívian de Oliveira, com a colaboração de Altenir Silva, Camilo Pellegrini e Maria Cláudia Oliveira, sob a direção geral de João Camargo e direção de Cesar Rodrigues ,contou com Gabriela Durlo, Marcos Pitombo, Paulo Gorgulho, Vanessa Gerbelli, Gabriel Gracindo, Lana Rodes, Ewerton de Castro, Letícia Colin e Paulo Nigro nos papéis principais. A Record agora aposta em produções mais curtas, feitas com mais qualidade técnica e cuidados. E a primeira estreia nesta quarta, dia três. A História de Ester é uma minissérie em 10 capítulos que narra a trajetória de uma órfã judia criada pelo tio que se torna a rainha da Pérsia depois que o rei a escolhe. Para retratar o período narrado, cerca de 400 a.C., a equipe fez uso de grandes cenários, tapetes persas, roupas inspiradas na época e, é claro, muitos efeitos visuais. Principalmente nas cenas de batalhas. Gravamos com o ator sozinho e, depois, os personagens foram multiplicados, explica João Camargo, diretor geral da produção escrita por Vivian de Oliveira.

Formato: minissérie
Gênero: Drama / romance
Duração: 45 minutos
Criador(es): Vívian de Oliveira
País de origem: Brasil
Idioma original: (em português brasileiro)
Diretor(es): João Camargo
Produtor(es): Diego Garzon
Distribuição: Record TV Network
Narrador(es): Roberto Bomtempo /Elenco Gabriela Durlo /Marcos Pitombo /Paulo Gorgulho /Vanessa Gerbelli /Ewerton de Castro
Juan Alba /Paulo Nigro /Felipe Martinz /Vitor Hugo/ Daniela Galli/ Rocco Pitanga/ Paulo Figueiredo/ André di Mauro
Gabriel Gracindo
Tema de abertura: Instrumental
Música Daniel: Figueiredo
Empresa(s) produtora(s): Record TV
Localização: RecNov / Rio de Janeiro, RJ
Emissora original: Record TV
Formato de exibição:480i (SDTV)
Formato de áudio: Estéreo
Transmissão original:  3 de março – 1 de abril de 2010
Temporadas: 1
Episódios:  10 (original)/ 10 (1ª reprise)/ 3 (2ª reprise)/ 9 (3ª reprise) / 10 (Netflix)

A superprodução conta uma das mais lindas histórias bíblicas, a de uma jovem judia que salva seu povo do extermínio ao se tornar rainha da Pérsia em 479 a.C
.

Produção

A história começa mostrando a vida de Hadassa – verdadeiro nome da mocinha Ester, interpretada por Gabriela Durlo. A jovem teve os pais mortos em uma perseguição dos amalequitas aos judeus ainda criança e foi criada pelo tio Mordecai, de Ewerton Castro. Anos mais tarde, depois que a rainha Vasti, de Daniela Galli, é expulsa do reino, é uma das moças convocadas para que o rei Assuero, vivido por Marcos Pitombo, escolha sua nova mulher. Por isso, troca seu nome para Ester, escondendo sua origem judia. A partir daí começa o romance entre os dois e, assim, a chance de Ester de salvar seu povo da ira do vilão Hamã, conselheiro do rei interpretado por Paulo Gorgulho. “Por mais que a história seja da Bíblia, o foco está todo no romance do casal e em como essa mulher se tornou uma heroína”, deslumbra-se Gabriela, estreante na posição de protagonista. Segunda adaptação da história bíblica produzida pela Record. Em 1998, A História de Ester já havia ido ao ar, com roteiro de Yves Dumont e Daniela Camargo e Giuseppe Oristânio vivendo os protagonistas Ester e o Rei Assuero . A princípio a minissérie estrearia em dezembro junto com a programação de fim de ano da emissora, depois a estreia foi adiada para janeiro mas acabou estreando apenas em março. As filmagens da minissérie começaram em novembro de 2009 e terminaram em janeiro de 2010. A Record investiu alto na produção, e teve estimativa que cada capítulo da trama custou até 500 mil reais. Os atores tiveram que participar de grupos de debate sobre a história, estudar o texto bíblico, workshops para aprender a se comportar de acordo com seus papéis e também como usar armas da época, cavalgar, entre outros. O conteúdo e os personagens do livro de Ester receberam alguns acréscimos da autora Vívian de Oliveira na adaptação para a TV, ganhando, inclusive, alguns personagens. A história central de Ester (Gabriela Durlo) e Assuero (Marcos Pitombo) e as maldades do vilão Hamã (Paulo Gorgulho) contra os judeus, especialmente contra Mordecai (Ewerton de Castro), estão presentes. Mas só esses personagens não sustentariam 10 capítulos. Novos personagens foram criados para que pudessem ser inseridos na trama sem comprometer ou descaracterizar a história original, que permaneceu intacta. Dentre esses novos personagens estão um judeu amigo de Mordecai, um romance entre uma judia e um amalequita, filho de Hamã, inimigos dos judeus, e um amigo de infância de Ester que é apaixonado por ela. O romance entre esses novos personagens foi, inclusive, inspirado no clássico Romeu e Julieta, ao criar a personagem judia Ana (Letícia Colin) e Aridai (Paulo Nigro) que é filho do vilão Hamã, o maior inimigo do povo judeu. Os dois se apaixonam e vivem um romance proibido. Atores e diretores tiveram aulas e consultoria com um historiador que os ensinou sobre os costumes da época, a etiqueta do palácio, a influência do império persa e as guerras travadas pelo rei Assuero. Para reconstruir a atmosfera da época, a equipe de arte usou como suporte para a criação dos cenários acervos de museus como o Louvre, em Paris, e o de Berlim. Nos estúdios, com a ajuda da tecnologia, foram reproduzidas cenas de batalha. Marcelo Brandão, supervisor de efeitos visuais, falou dos esforços para chegar o mais próximo a realidade da época: “Gravamos com cerca de trinta figurantes para depois criarmos um exército de 1.600 soldados”. Brandão tem uma equipe de 27 pessoas, que cria, em efeitos 3D, as fachadas da cidade de Susã, onde se passa a história, e a cenografia virtual do palácio do rei.

EVENTO DO PRIMEIRO CAPÍTULO DE A História de Ester

Os cuidados em A História de Ester lembram muito os utilizados pela Globo na hora de produzir e lançar suas minisséries. Primeiro, a equipe ficou mergulhada na história e no período retratado, participando de workshops, com direito a aulas de equitação e história, por exemplo. Além disso, enquanto em uma novela é comum que se grave cerca de 30 cenas por dia, a equipe pôde se dedicar ao máximo em cada take, reduzindo esse número para algo em torno de quatro ou cinco diárias. “É completamente diferente de tudo que eu já fiz. Você tem tempo para se preparar, é um outro tipo de cuidado. Não que uma novela não mereça, mas não existe tempo hábil para isso em um trabalho longo”, explica Marcos Pitombo. A equipe garante que não existe o interesse de defender conceitos religiosos. Mas a maior parte dos atores confessa que, assim que recebeu o convite, sentiu essa preocupação. “Acho uma coisa normal porque nenhum ator deve se envolver, defender qualquer ponto de vista. O melhor é ficar neutro. Mas assim que eu li os capítulos, percebi que a minissérie está isenta de qualquer defesa religiosa”, atesta Vanessa Gerbelli, que encarna a feiticeira Zeres. A emissora ainda não sabe qual, mas já a partir de março um novo texto bíblico entrará em pré-produção. “Vamos nos reunir e escolher. Provavelmente, a partir de junho já teremos uma nova minissérie sendo gravada aqui no Rio”, adianta Hiran Silveira, o diretor de Teledramaturgia da Record. A autoria, ele confirma, também será de Vivian de Oliveira. “Ao contrário do que saiu em alguns veículos, só crescemos nessa área. Estamos produzindo minisséries e já no mês que vem começaremos os trabalhos da próxima novela em parceria com a Televisa”, completa Hiran.

Núcleo do Rei

Rei Assuero (Marcos Pitombo). É o rei do Império Persa. Impulsivo e com temperamento forte, é um homem que esconde uma generosidade despertada assim que se apaixona por Ester.
Hamã (Paulo Gorgulho). Conselheiro do rei, é um ambicioso descendente dos amalequitas, inimigos históricos dos judeus. Trama a morte do rei, mas se faz passar por seu aliado. É casado com Zeres, com quem teve dez filhos.
Zeres (Vanessa Gerbelli) . Esposa de Hamã, é ambiciosa e faz de tudo para ver seu marido no poder. Joga a sorte, é feiticeira e adora vários deuses.
Aridai (Paulo Nigro) . É o único filho de Hamã que não é ligado às tramas sórdidas do pai. Secretamente, é contra a rivalidade do pai com os judeus, mas é medroso e nunca enfrenta a família. Apaixona-se pela judia Ana, mas ambas as famílias são contra o relacionamento.
Dalfom (Gabriel Gracindo) Filho mais velho de Hamã e Zeres, é o braço direito do pai e odeia judeus. Um dos principais guerreiros do rei, Dalfom é arrogante, beberrão e mulherengo.
Memucã (Paulo Figueiredo)  Nobre persa e homem de confiança do rei. Não gosta de Hamã e vai ser vítima de suas maldades.
Simion (Maurício Ribeiro)  Judeu, trabalha como copeiro do rei no palácio. É responsável por provar a comida e a bebida do rei antes de ele comer para ver se não está envenenada.
Tafnes (Luana Rodes) .Egípcia, bonita e ambiciosa, sonha em se tornar rainha. Morre de ciúmes de Ester e se envolve com Dalfom.

Núcleo de Ester

Hadassa/Ester (Gabriela Durlo)  Moça judia e simples que é coroada rainha da Pérsia e reina ao lado de Assuero. Hadassa é seu nome hebraico. Adota o nome de Ester para que sua origem judaica não seja descoberta. Quando jovem, é interpretada pela atriz Bárbara Maia.
Mordecai (Ewerton de Castro)  Comerciante bom, honesto e trabalhador, é tio de Ester e a criou desde que ficou órfã. Por ser um judeu fiel às tradições de seu povo, é perseguido. Nos capítulos finais, é empossado ministro do rei e ajuda Ester a salvar seu povo.
Abiail (Juan Alba). Pai de Ester, é um homem de caráter, simpático e humilde. Aparece somente nos pesadelos da filha.
Lia (Cássia Linhares) Mãe de Ester, é uma mulher bonita e de semblante sereno. Aparece somente nos pesadelos da filha.
Joel (Giuseppe Oristanio) Líder judeu, ranzinza, amigo de Mordecai e pai de Ana. Não aceita o envolvimento da jovem com o filho de Hamã. Lidera o povo judeu no retorno a Jerusalém.
Rebecca (Eliete Cigarini)  Esposa de Joel.
Ana (Letícia Colin) Filha de Joel e Rebecca e amiga de Ester. Ingênua e sonhadora, é raptada para fazer parte do harém do rei. Vive um romance escondido com Aridai.

Núcleo dos eunucos

Harbona (Rocco Pitanga) Serve ao rei e à rainha no palácio. É um homem leal.
Hegai (André di Mauro)  Responsável pelo harém do rei. É divertido e efeminado, já que ensina boas maneiras às candidatas ao reino. Torna-se um amigo de Ester.
Ruben (Márcio Kieling)  Judeu, é um pastor de ovelhas de bem com a vida. É apaixonado por Ester e faz tudo por ela. Fica revoltado depois de ser capturado pelos guardas do palácio e é mutilado para se tornar eunuco.
Bigtã (Felipe Martins)  Eunuco do palácio, se alia a Hamã em um complô para matar o rei.
Teres (Victor Hugo)  Eunuco do palácio, também está envolvido nas tentativas de derrubar o rei Assuero.

Bastidores

Dentro do projeto de conquistar mais audiência e maior participação nos recursos publicitários, em 2010, a Record TV iniciou a ousada produção de minisséries baseadas na Bíblia,  (“Biografia da Televisão Brasileira”, Flávio Ricco e José Armando Vannucci) A primeira história bíblica escolhida para essa nova fase da Record foi A História de Ester, que já tivera uma adaptação produzida pela emissora, em 1998, com roteiro de Yves Dumont, e Daniela Camargo e Giuseppe Oristânio vivendo os protagonistas Ester e o Rei Assuero. O conteúdo e os personagens do livro de Ester receberam alguns acréscimos da autora Vívian de Oliveira nesta nova adaptação, ganhando, inclusive, alguns personagens. Como a história central de Ester (Gabriela Durlo) e Assuero (Marcos Pitombo) e as maldades do vilão Hamã (Paulo Gorgulho) contra os judeus, especialmente contra Mordecai (Ewerton de Castro), não sustentariam 10 capítulos, novos personagens foram criados para que pudessem ser inseridos na trama sem comprometer ou descaracterizar a história original, que permaneceu intacta. Entre os novos personagens estavam um judeu amigo de Mordecai, um romance entre uma judia e um amalequita, povo inimigo dos judeus, e um amigo de infância de Ester que era apaixonado por ela. Até o clássico “Romeu e Julieta” serviu de inspiração a judia Ana (Letícia Colin) e Aridai (Paulo Nigro), filho do vilão Hamã, o maior inimigo do povo judeu, se apaixonaram e viveram um romance proibido. Vívian de Oliveira declarou a Flávio Ricco e José Armando Vannucci para o livro “Biografia da Televisão Brasileira. Foi muito bem recebida pelo público.  Como primeira produção do gênero nesta fase, A História de Ester mostrou alguns equívocos na caracterização de alguns personagens, principalmente com barbas e cabelos falsos que não podiam ser disfarçados no ar, e nos figurinos, problemas que foram solucionados ao longo do tempo, com outras produções do gênero e que culminaram com um processo mais profissional na realização de novelas baseadas na Bíblia (a partir de Os Dez Mandamentos, em 2015), inclusive com efeitos especiais muito melhores. Biografia da Televisão Brasileira”, Flávio Ricco e José Armando Vannucci. Atores e diretores tiveram aulas e consultoria com um historiador que os ensinou sobre os costumes da época, a etiqueta do palácio, a influência do império persa e as guerras travadas pelo rei Assuero. Para reconstruir a atmosfera da época, a equipe de arte usou como suporte para a criação dos cenários acervos de museus como o Louvre, em Paris, e o de Berlim. Nos estúdios, com a ajuda da tecnologia, foram reproduzidas cenas de batalha. Marcelo Brandão, supervisor de efeitos visuais, falou dos esforços para chegar o mais próximo a realidade da época:
Gravamos com cerca de trinta figurantes para depois criarmos um exército de 1.600 soldados.
Brandão trabalhou com uma equipe de 27 pessoas, que criou, em efeitos 3D, as fachadas da cidade de Susa, onde se passava a história, e a cenografia virtual do palácio do rei. O ator Giuseppe Oristânio, que vivera o Rei Assuero na primeira versão da minissérie em 1998, retornou na pele de outro personagem Joel. Reprisada entre 13 e 26/04/2010, às 18 horas. Em setembro do mesmo ano, a minissérie foi lançada em DVD e blu-ray.
Teve uma nova reapresentação, em 3 capítulos, entre 14 e 16/12/2011, às 17 horas. E outra entre 18 e 28/12/2012, em 9 capítulos, às 21h.

Audiência

A estreia de A História de Ester que ocorreu no dia 3 de março de 2010 obteve uma ótima média de 12 pontos com picos de 14 para a Rede Record. Após dois dias consecutivos perder a vice-liderança para o SBT na Grande São Paulo, a Rede Record optou por tirar do ar a reprise de “A História de Ester”, que vem marcando apenas 3 pontos de audiência e prejudicando toda a sua grade noturna. A emissora reduziu os dez capítulos da minissérie em apenas três. É notável o desespero da Record por audiência, mas enquanto não respeitar o telespectador a tendência é piorar. Só para constar, no começo da semana, sem qualquer aviso, o programa “Marcas da Vida” teve suspensas as suas apresentações. Sem planejamento de sua alta direção, a Record anuncia a volta das reprises de seus programas dentro do “Tudo a Ver” e da série “Todo Mundo Odeia o Chris”. Enquanto isto, o SBT faz a festa com a mexicana “Marimar”, com uma audiência de até 12 pontos. O último capítulo de A História de Ester marcou, grande São Paulo uma média de 12 pontos, sendo sua média geral de 11 pontos. O terceiro capítulo de A História de Ester, que foi ao ar na noite da última quinta-feira (11), conquistou excelentes índices de audiência para a Record. A minissérie escrita por Vivian de Oliveira alcançou 12 pontos de média, isolando-se na vice-liderança segundo índices prévios da Grande São Paulo. O SBT ficou em terceiro lugar, com 7 pontos, e a Globo liderou o ranking com 17. Entre os destaques do capítulo dessa quinta estava o início da conquista do Rei Assuero (Marcos Pitombo) pelo amor de Ester (Gabriela Durlo).

Os atores contam da riqueza de detalhes atribuídas ao figurino e aos cenários. As cenas de guerra foram gravadas em um estúdio de 1.000 m² com areia para caracterizar o terreno da Pérsia e cromatina para acrescentar os efeitos especiais.

Reprises

Foi reapresentada pela primeira vez, entre 13 à 26 de abril de 2010 em 10 capítulos, às 18h . Foi reapresentada pela segunda vez, entre 14 e 16 de dezembro de 2011 em uma compacto de 3 capítulos. Esta reapresentação foi tirada do ar devido à baixa audiência. Foi reapresentada pela terceira vez, entre 18 á 28 de dezembro de 2012 em 9 capítulos, às 21h, substituindo Rei Davi e antecedendo Sansão e Dalila. A Rede Record anunciou nesta segunda-feira (12) que irá reprisar a minissérie “A História de Ester“. A trama exibida em 2010 e escrita por Vivian de Oliveira, em um total de 10 capítulos, entrará em cartaz a partir desta quarta-feira (14/12) a partir das 17h. È importante destacar que em 2010 a Record reprisou a trama um mês após seu término. O horário escolhido, na época, foi o das 18h, substituindo o desenho “Pica-Pau“. Desta vez, “A História de Ester” substituirá a série “Todo Mundo Odeia o Chris”.

REDAÇÃO

A partir do dia 24, a minissérie A História de Ester estreia na Record TV Americas, de segunda à sexta, às 8pm. A minissérie se passa por volta de 400 anos a.C., na antiga Pérsia, onde hoje é o Irã. A trama principal traz uma linda história de amor entre uma mulher do povo, Ester (Gabriela Durlo) , e o rei Assuero (Marcos Pitombo). A direção geral é de João Camargo e a adaptação de Vivian de Oliveira. As informações são do Portal R7. Hadassa (Gabriela Durlo), ainda criança, é resgatada por Mordecai (Ewerton de Castro) depois que seus pais, Abiail (Juan Alba) e Lia (Cássia Linhares), são mortos em uma grande perseguição dos amalequitas aos judeus. Mordecai, também judeu, consegue fugir e criar Hadassa como sua própria filha. Ele trabalha no palácio de Assuero como guarda do exército real. Depois de vencer uma difícil batalha contra os gregos, Assuero e seu exército desfilam pelas ruas de Susã, capital persa. O povo celebra com grande euforia. Em meio à multidão, a linda Hadassa chama a atenção de Assuero. Os dois trocam um olhar de encantamento. Em seguida, Assuero segue para o palácio onde oferece uma grande festa aos príncipes da província e também aos funcionários reais. Enquanto isso, a rainha Vasti (Daniela Galli), mulher de Assuero, oferece outra festa apenas para as mulheres. Tudo segue muito bem até que os nobres pedem a presença de Vasti no banquete real. Assuero concorda e pede que Memucã (Paulo Figueiredo), seu homem de confiança, traga a rainha para a festa. Vasti, no entanto, se recusa e causa a ira de Assuero, que a expulsa do reino. Hamã (Paulo Gorgulho), conselheiro de Assuero, convence o rei a convocar todas as virgens do reino para escolher a nova rainha. Mordecai escuta a conversa e tenta esconder Hadassa, mas soldados invadem sua casa e a levam. Hadassa troca o nome para Ester, já que Mordecai teme represálias por ela ser judia. Sob os cuidados do eunuco Hegai (André di Mauro), todas as virgens passam por rituais de beleza e aprendem como se portar diante do Imperador. Assuero passa a noite com diversas mulheres, mas nenhuma o encanta. Até que chega a vez de Ester. O rei a reconhece e fica impressionado com sua beleza e sabedoria, já que mesmo atraída por Assuero, ela se mostra indignada por ser obrigada a se deitar com ele. Ester declara que sempre imaginou um amor para a vida toda e que este deveria ser conquistado, não imposto. A coragem com que Ester enfrenta o rei, o deixa ainda mais apaixonado. Assuero não passa a noite com Ester e decide conquistar o seu amor. Ao voltar para o harém sem ter sido tocada pelo rei, Ester surpreende Hegai e os dois acabam se tornando amigos. Assuero passa a solicitar unicamente a presença de Ester para cortejá-la e, assim, conquistar seu coração.

HISTÓRIA DE ESTER | CAPÍTULO 1 – 25 03 2020

Criticas 

A minissérie A História de Ester, que estreia no dia 11 de janeiro na Record, pelas informações que chegam, promete surpreender o telespectador. Nunca uma produção da emissora recebeu tamanha atenção. Houve todo um cuidado na sua preparação, com pesquisas, seleção de atores, cenários, figurinos, detalhes de luz e até escolha de câmeras. Um historiador, Maurício Santos, foi especialmente contratado para dar suporte à Vivian de Oliveira, responsável pela adaptação. A autora recebeu liberdade para criar e valorizar situações, desde que o original não fosse comprometido. Atores consultados se referem à minissérie como uma superprodução. Foram muitas as aulas de equitação, de lutas com espadas, e tudo que tivesse relação ao período em que se passa a história. Não se trata, portanto, de simples abordagem bíblica que, inclusive, já teve versão apresentada na casa, com texto de Yves Dumont, em 1998. Em relação ao custo/capítulo, Hiran Silveira, número 1 da Teledramaturgia da emissora, diz que ficará próximo ao de um capítulo de novela entre R$ 200 mil e R$ 300 mil. Mas há quem aposte num valor mais alto, cerca de R$ 500 mil por episódio, ou seja, o mesmo de Cinquentinha, da Globo. Um cenário que chama a atenção em A História de Ester é o palácio do Rei Assuero (Marcos Pitombo), que ocupa todo um estúdio do Recnov. Já as batalhas contam com efeitos de última geração e um grande número de figurantes. Por se tratar de uma produção desse porte, até mesmo eles, os figurantes, recebem atenções especiais com figurino, cabelo, maquiagem.

Efeitos especiais

É louvável o esforço da Record em produzir minisséries. Além do importante campo de trabalho que representam, o público também sai ganhando com uma diferente opção. Porém começar por histórias de época Ester tem demonstrado isso com toda certeza não foi a melhor escolha. Passa sempre a impressão do improviso. Arrumaram aquele cabelo, porque não tinha outro; escolheram aquela barba, porque não havia outra melhor; e assim por diante. Sem considerarmos os efeitos especiais que, em alguns momentos, são um convite a taquicardia, falta de ar, queda ou alta na pressão. Por que não uma história atual e depois, aos poucos, com melhores condições, a equipe mais afiada, retroceder gradativamente no tempo? Produção de época, a vida ensinou assim, tem as suas complicações. A Globo, que é a Globo, já apanhou muito, porque há sempre o risco de cair no ridículo. Este é um assunto que a Record deveria rever, apesar de anunciar que “Sansão e Dalila” e “A História do Rei Davi” já estão a caminho. Honestamente, pelo que “Ester” vem apresentando não dá para se esperar delas coisa melhor. Na Record ainda causa estranheza a troca da etapa Uberlândia por Florianópolis no próximo “Ídolos”. Minas Gerais, estado de forte presença na música brasileira, saiu aos 45 min. do segundo tempo e até agora ninguém sabe muito bem o que aconteceu. A mudança, de acordo com a Record, foi motivada por uma questão de logística não havia audições em cidades da região Sul. A Record tem um desafio e tanto a partir de 11 de janeiro, quando estreia a minissérie A História de Ester atrair o espectador com uma trama já contada e recontada nos palcos, nos cinemas e na televisão de todo o mundo, inclusive pela própria emissora em 1998. Esta nova versão da história bíblica de amor e ódio, no entanto, aposta na tecnologia de ponta para surpreender. Segundo o diretor de efeitos visuais da Record, Marcelo Brandão, os efeitos serão os mesmos vistos na megaprodução americana 300, que também levou a história da guerra entre persas e gregos às telas. A gente está trabalhando da mesma forma como foi feito o filme, a diferença é que eles tinham mais tempo e mais recursos. Mas os efeitos são os mesmos usados em Hollywood, é cinema na televisão”, explica Marcelo. A equipe de 20 especialistas em efeitos especiais está dedicada a reproduzir no computador o cenário do reino persa em 400 a.C., quando se passa a história, multiplicar os exércitos nas batalhas e incrementar as elaboradas lutas coreografadas, nas quais terá até gente voando. Na semana passada, quando começaram as gravações, foi encenada uma das batalhas, da qual participaram 60 figurantes, 20 dublês, quatro cavalos e os quatro atores principais Paulo Gorgulho, Marcos Pitombo, Paulo Nigro e Gabriel Gracindo. Depois da manipulação digital, esse número será multiplicado para cerca de 200 mil homens. O cromaqui verde espécie de painel gigante usado como fundo na cena de 70mx6m também será transformado virtualmente no deserto persa. Tanta tecnologia não assusta os protagonistas, que passaram por um treinamento durante duas semanas para aprender tudo o que diz respeito à história, aos costumes da época e a à forma como isso será passado para a televisão. É superdivertido, adoro cenas de ação. É óbvio que acaba sendo mais difícil, pois é tudo muito técnico e a precisão do ator é fundamental. Mas o bacana é que, de qualquer forma, temos de mostrar nossa emoção, diz Marcos Pitombo, que interpreta o rei persa Assoeiro.

Elenco Atriz, ator / Personagens

  • Gabriela Durlo Ester / Hadassa
  • Marcos Pitombo Rei /Assuero
  • Vanessa Gerbelli /Zeres
  • Paulo Gorgulho/ Hamã
  • Paulo Figueiredo/ Memucã
  • Ewerton de Castro /Mordecai
  • Gabriel Gracindo /Dalfom
  • Vitor Hugo /Teres
  • Cássia Linhares /Lia
  • Giuseppe Oristanio /Joel
  • Letícia Colin/ Ana
  • Márcio Kieling /Ruben
  • Paulo Nigro /Aridai
  • Felipe Martins /Bigtã
  • André Di Mauro /Hegai
  • Lana Rodes/ Tafnes
  • Daniela Galli /Rainha Vasti
  • Maria Ceiça /Quinlá
  • Rocco Pitanga /Harbona
  • Maurício Ribeiro /Simion
  • Eliete Cigarini /Rebecca
  • Eline Porto /Sálua
  • Diego Montez /Abdias
  • Anna Rita Cerqueira /Deborah

Participações especiais Atriz, ator / Personagens

  • Bárbara Maia Ester / Hadassa/(criança)
  • Juan Alba /Abiail
  • Roberto Pirillo /Escriba Real
  • Roney Villela /Caçador de virgens

Fotos

Gabriela Durlo vive a mocinha Ester na minissérie A História de Ester
Gabriela Durlo vive a mocinha Ester na minissérie A História de Ester
Marcos Pitombo é o poderoso Rei do Império
Marcos Pitombo é o poderoso Rei do Império Persa, temido por todos e venerado como um deus por seus súditos. Sério e compenetrado, sabe ser charmoso com as mulheres. Apaixona-se perdidamente por Ester.
Nobre persa, homem de confiança e conselheiro do rei Assuero.
Nobre persa, homem de confiança e conselheiro do rei Assuero.
O ator Paulo Gorgulho
O ator Paulo Gorgulho depois que a caracterização foi terminada, pronto para gravar mais uma cena
O ator Marcos Pitombo, que viveu o Rei Assuero na minissérie
O ator Marcos Pitombo, que viveu o Rei Assuero na minissérie
Mais uma foto do Hegai André Di Mauro
Mais uma foto do Hegai André Di Mauro durante as gravações da minissérie A História de Ester em Petrópolis.
Letícia Colin como Ana na minissérie A História de Estér, da Record
Letícia Colin como Ana na minissérie A História de Estér, da Record
Segundo o supervisor de caracterização, Marcelo Ancillotti,
Segundo o supervisor de caracterização, Marcelo Ancillotti, foram necessárias mais de quatro horas para preparar todo mundo para a gravação
Rei Assuero, Ester e os eunucos Harbona e Hegai
Rei Assuero, Ester e os eunucos Harbona e Hegai
Record aposta em trama Judaica para alavancar a audiência
Record aposta em trama Judaica para alavancar a audiência

Esposa de Hamã, com quem teve dez filhos
Esposa de Hamã, com quem teve dez filhos

Daniela Galli viverá a Rainha Vasti,
Daniela Galli viverá a Rainha Vasti, na nova minissérie da Record, A História de Ester. Sua personagem gosta de ostentar e esbanja arrogância
Gabriela Durlo (Ester), Márcio Kieling (Ruben) e Ewerton de Castro (Mordecai) nas gravações da minissérie
Gabriela Durlo (Ester), Márcio Kieling (Ruben) e Ewerton de Castro (Mordecai) nas gravações da minissérie
Lana Rhodes (Tafnes), André Di Mauro (Hegai) e Gabriela Durlo (Ester)
Lana Rhodes (Tafnes), André Di Mauro (Hegai) e Gabriela Durlo (Ester) posam para fotografia durante as gravações em Petrópolis. A Historia de Ester, minissérie da Rede Record.
Cena de luta em A História de Ester
Cena de luta em A História de Ester
Com muito planejamento e cuidado, a rainha preparou o ambiente e criou situações para enfrentar o problema.
Com muito planejamento e cuidado, a rainha preparou o ambiente e criou situações para enfrentar o problema.
Paulo Nigro viverá amor impossível em minissérie da Record
Paulo Nigro viverá amor impossível em minissérie da Record
A malévola Tafnes (Lana Rodes) descobre que a jovem Ana (Letícia Colin) está grávida no harém do rei Assuero. Quinlá (Maria Ceiça)
A malévola Tafnes (Lana Rodes) descobre que a jovem Ana (Letícia Colin) está grávida no harém do rei Assuero. Quinlá (Maria Ceiça) finge não saber de nada
A equipe começa a colocar a barba postiça em Gorgulho.
A equipe começa a colocar a barba postiça em Gorgulho. O personagem do ator quer tomar, a todo custo, o posto do rei Assuero, vivido por Marcos Pitombo
A atriz Lana Rodes sofreu uma transformação e tanto para viver Tafnes na minissérie.
A atriz Lana Rodes sofreu uma transformação e tanto para viver Tafnes na minissérie.
Cena de A História de Ester Ao centro, Gabriela Durlo (Ester) e Letícia Colin (Ana)
Cena de A História de Ester Ao centro, Gabriela Durlo (Ester) e Letícia Colin (Ana)

 

Fonte: Wikepedia e IMDB Além da Pesquisa Site Imagoi