Jezabel (telenovela)

Jezabel

É uma telenovela brasileira exibida pela Record TV entre 23 de abril e 12 de agosto de 2019, em 80 capítulos, substituindo Jesus e sendo substituída pela reprise de O Rico e Lázaro. Apesar de ser anunciada originalmente como uma macrossérie  o oposto de uma minissérie por ter mais de 50 capítulos a trama foi creditada como uma telenovela na abertura e passou a ser tratada como tal a partir de então. É a 31ª novela exibida pela emissora desde a retomada da dramaturgia em 2004. Escrita por Cristianne Fridman com colaboração de Alexandre Richard, Carla Piske, Fabiana Reis, Jaqueline Corrêa, Jussara Fazolo, Stephanie Martins e Vânia Matos, sob a direção de Alexandre Avancini, Armê Manente, Hamsa Wood e Rogério Passos e direção geral de Alexandre Avancini. Contou com as participações de Lidi Lisboa, André Bankoff, Iano Salomão, Adriana Birolli, Juan Alba, Juliana Knust, Rafael Sardão e Timóteo Heiderick. A trama conta a história de Jezabel, vivida por Lidi Lisboa, que após um acordo entre dois reinos, se casa com o príncipe Acabe, o ator André Bankoff, e se torna a mais perigosa rainha de Israel. Ela usa sua beleza e maldade para tentar impor ao povo israelita a adoração ao seus deuses pagãos. A maioria dos israelitas acata as imposições de Jezabel, mas o profeta Elias, além de outros profetas e israelitas fiéis a Deus, não. Elias se torna o maior adversário de Jezabel.
Com produção da Formata, Jezabel é escrita por Cristianne Fridman e tem direção geral de Alexandre Avancini. A produção terá 130 capítulos e irá ao ar de segunda a sexta-feira, às 20h45. Dois atores do primeiro time da superprodução fizeram uma participação especial na noite de estreia. Fernando Pavão, que interpreta Pigmalião, completa seu 71º trabalho na televisão, sendo o quinto na casa. Para ele foi um de seus maiores desafios, principalmente físicos, gravar ‘Jezabel’. “Conseguir viver no Marrocos foi desafiador. Ficamos na entrada do deserto e o clima me fazia sangrar pelo nariz todos os dias. Comecei a observar as ações dos moradores para conseguir me adaptar. Mas o lugar e a luz deixaram a macrossérie com uma fotografia incrível”, disse. 

 

Formato; Telenovela
Gênero: Drama / épico
Duração: 60 minutos
Criador(es):  Cristianne Fridman
País de origem: Brasil
Idioma original: (em português brasileiro)
Diretor(es): Alexandre Avancini
Câmera: Multicâmera
Roteirista(s):  Alexandre Richard/ Carla Piske/ Fabiana Reis/ Jaqueline Corrêa/ Jussara Fazolo/ Stephanie Martins /Vânia Matos
Tema de abertura: “Jezabel”, Daniel Figueiredo
Empresa(s) produtora(s): RecordTV
Localização Polo: Cinematográfico de Paulínia
Emissora original: Record TV
Formato de exibição: 1080i (HDTV)
Transmissão original: 23 de abril – 12 de agosto de 2019
Episódios: 80

Nesta terça (23), Jezabel estreia com fortes emoções na Record TV

Antecedentes

A tradição em produzir minisséries épicas se iniciou na Record TV no verão de 2010 com a minissérie A História de Ester, de forma ainda despretensiosa e em forma de teste para ver a aceitação do público acostumada com obras que iam, no máximo, até o período escravagista brasileiro. Após a boa recepção, a segunda produção do gênero, a minissérie Sansão e Dalila, entrou no ar no início de 2011, recebendo um investimento de 12 milhões de reais. Em 24 de janeiro de 2012 o projeto mais ambicioso até então, Rei Davi, estreou com gravações ocorridas no Canadá e Chile. A trama chegou aos 16 pontos e liderança do horário em determinados dias. Em 2013 entra no ar a quarta e última minissérie sequencial da temática, José do Egito, com um investimento de mais de R$ 60 milhões, o maior já empregado em uma minissérie até então no Brasil. A partir de 2015, no entanto, a emissora decidiu expandir o formato e passou a investir em telenovelas épicas a partir de Os Dez Mandamentos, deixando a produção de minisséries de lado por alguns anos até ser retomado em 2018 com Lia. 

Produção

Jezabel difere das tramas religiosas anteriores da emissora em vários pontos. O primeiro deles é o texto de Cristianne Fridman. Por conta de sua experiência em novelas das mais variadas temáticas, a autora consegue imprimir um ritmo interessante de folhetim à história bíblica. Assim, Jezabel conta com capítulos ágeis, bons diálogos e personagens bem delineados. Deste modo, a trama ostenta um apelo que vai além dos muros da igreja, despertando também a atenção do espectador comum. Em setembro de 2016, Cristianne Fridman foi recontratada pela Record TV um ano após ser dispensada para ser colaboradora na telenovela O Rico e Lázaro, além de ficar responsável por desenvolver duas histórias próprias: uma épica e uma contemporânea como suas tramas anteriores. Em março de 2017 a autora apresentou a sinopse de uma minissérie inspirada na história de Jezabel, intitulada Jezabel A Rainha Má, a qual teria dez episódios. Em outubro daquele ano a direção começou buscar nomes para o elenco, porém o projeto foi adiado para focar na terceira temporada de Conselho Tutelar. Apenas em 2 de outubro de 2018, Jezabel recebeu o aval positivo para ser produzida, sendo anunciada para substituir a telenovela Jesus no primeiro semestre de 2019, porém com a extensão de 80 capítulos em formato de macrossérie o oposto de uma minissérie por não ser curta e ter mais de 50 capítulos, embora ainda menor que a duração de uma telenovela tradicional. Alexandre Avancini foi anunciado com diretor na mesma semana. A primeira reunião com todo elenco e equipe ocorreu em 5 de janeiro, dando também início à produção de cenografia e figurinos. As gravações de todas as cenas externas foram realizadas em Uarzazate, no Marrocos. A equipe técnica viajou para o país em 26 de janeiro e, entre o dia 31 de dezembro de 2018 e 6 de janeiro de 2019, o elenco chegou ao local. As gravações se iniciaram em 7 de fevereiro, contando com 60 profissionais brasileiros levados ao Marrocos, além de parte da equipe técnica do país. A equipe retornou ao Brasil em 18 de fevereiro e, a partir de 21, começou as gravações em estúdio, porém diferentemente das outras tramas filmadas no Rio de Janeiro, o projeto utilizou os estúdios cinematográficos do Polo Cinematográfico de Paulínia, em São Paulo, que tinham uma estrutura maior, utilizada para filmes.  Por conta disso, Jezabel consegue explorar uma protagonista totalmente fora dos padrões das novelas bíblicas. A personagem título, vivida por Lidi Lisboa, é uma vilã. Uma rainha implacável, capaz das maiores atrocidades para conseguir o que tanto deseja. Com isso, forma um contraponto interessante ao profeta Elias (Iano Salomão), A emissora reuniu elenco, diretores e produtores da trama em um evento no Rio de Janeiro. Além disso, participou também o vice-presidente artístico do canal, Marcelo Silva. A protagonista-título da trama, Jezabel, será vivida por Lidi Lisboa, que volta à Record TV após breve passagem pela Globo. Já o destaque masculino, o rei Acabe, terá André Bankoff como intérprete. Além deles, outros atores renomados foram escalados para a produção: Juan Alba, Sthefany Brito, Narjara Turetta, Leonardo Miggiorin, Juliana Knust, Eduardo Lago, Flávio Galvão, Adriana Birolli, Bernardo Velasco, entre outros, Para ilustrar a trama escrita por Cristianne Fridman, a Record TV não poupou nenhum esforço ou orçamento, sendo esta, sem dúvida, uma de suas produções mais bem trabalhadas, a começar pelas gravações internacionais que foram feitas nos belos cenários do Marrocos, com deslocamento de uma grande equipe entre técnicos e atores, que darão maior autenticidade de cenários e maiores possibilidades ao tratamento especial que a direção da emissora e da novela dedicaram a este projeto.

Jezabel chama a atenção de todos os convidados ao fazer uma dança especial. O rei Acabe e Aisha ficam surpresos com o comportamento da princesa.

Escolha do elenco

Como era uma obra rápida, talvez um elenco de pessoas mais conhecidas fizesse com que o público se identificasse mais e quisesse assistir”, diz Mayer. Ele afirma ainda que a escolha de Lidi Lisboa, 34, para viver Jezabel não foi das melhores. “Lidi não se saiu muito bem. Ela não encontrou o tom adequado para interpretar a vilania da princesa fenícia.”
Mayer destaca ainda que as interpretações lhe soavam mais para uma linguagem de teatro, com pouca naturalidade e muitas falas decoradas. “As pessoas ligam a TV para se ver, mesmo que seja você de outra época. Camila Rodrigues e Giselle Itié foram os primeiros nomes pensados para a personagem central quando cogitou-se produzi-la em 2017. Camila foi a primeira a ser convidada oficialmente em novembro de 2018, porém a atriz entrou numa disputa interna entre a direção de Jezabel e da telenovela Topíssima para viver ambas as protagonistas, na qual a segunda saiu vitoriosa. Juliana Knust, Julianne Trevisol e Rayanne Morais realizaram os testes na sequência, porém nenhuma das três se adequou ao perfil sanguinário e manipulador da personagem exigido pela produção. Em 6 de dezembro foi anunciado que Lidi Lisboa seria protagonista, uma vez que a atriz havia se saído bem nos testes e tido um desempenho muito elogiado como a antagonista de Escrava Mãe anteriormente. Lidi se tornou a segunda atriz negra protagonista da Record TV e a sexta em telenovelas da televisão brasileira em 68 anos de existência  após Ruth de Souza, Taís Araújo, Camila Pitanga, Aline Dias e Gabriela Moreyra. André Bankoff havia feito os testes para interpretar o protagonista de Jesus e, por seu bom desempenho, foi convidado para o papel masculino central de Jezabel Emílio Orciollo Netto, Leonardo Miggiorin, Daniel Erthal, Dudu Pelizzari e Iano Salomão realizaram os testes para viver Elias. Emílio seria o escolhido, porém o ator preferiu aceitar o antagonista do papel ficou para Iano, enquanto os outros três atores foram distribuídos em outros personagens. Timóteo Heiderick fez os testes para viver Eliseu, mas Ronny Kriwat ficou com o personagem. Graziella Schmitt interpretaria Aisha, porém a atriz teve que deixar o elenco por descobrir estar grávida pouco antes do início das gravações e foi substituída por Adriana Birolli. Mário Frias chegou a ser anunciado como Obadias, porém desistiu do papel por conseguir patrocínio para o programa de televisão que havia criado e decidir focar na busca por uma emissora interessada em produzi-lo, sendo que Juan Alba ficou com o posto. Para o especialista em teledramaturgia brasileira Claudino Mayer, a queda na audiência se deve a três fatores. O primeiro se refere à escolha do elenco, formado por pessoas pouco conhecidas do público geral, o que fez com que não houve identificação imediata com eles. No elenco masculino, nos principais papéis, alguns nomes já são cotados e bem vistos. São eles: Emílio Orciollo Netto, Iano Salomão, Daniel Erthal, Dudu Pelizari e Leonardo Miggiorin. Já para a personagem principal, uma mulher descrita como cruel e assassina, ainda estão fazendo testes e trabalhando com algumas possibilidades. Jezabel, segundo a Bíblia, manipulava e matava para conseguir o que queria. Era egoísta e não temia a Deus. Camila Rodrigues é cotada para assumir o papel. A Record promoveu ontem, no Rio, a primeira reunião com o elenco e direção da macrossérie “Jezabel”, produção escolhida para substituir “Jesus” a partir de março. O evento contou com a participação de Marcelo Silva  vice presidente Artístico e de Programação da emissora. Além de desejar sucesso aos profissionais envolvidos, ele se encarregou de apresentar a equipe da produtora paulista Formata, responsável por toda a condução deste trabalho. Já o diretor da série, Alexandre Avancini, após a leitura do primeiro capítulo, conversou individualmente com os atores e também em grupos. O elenco esteve praticamente em peso no encontro, marcado por um ótimo clima. Lidi Lisboa.

O elenco de Jezabel se reuniu no Polo de Cinema de Paulínia (SP), onde gravam as cenas internas da nova superprodução bíblica da Record TV, para contar detalhes deste trabalho para a imprensa. A macrossérie estreia no dia 23 de abril, às 20h45. Não perca!

Enredo

A macrossérie começa contando a história de Jezabel, vivida pela atriz Lidi Lisboa, a princesa de Fenícia que está prometida para o príncipe de Samaria, Acabe (André Bankoff). Com a morte do rei, Acabe ganha o título e, consequentemente, Jezabel se torna rainha. O casamento dos dois é uma estratégia de unir os povos de Fenícia e Samaria no reino de Israel. Após um acordo entre dois reinos, a dissimulada Jezabel (Lidi Lisboa) se casa com o príncipe Acabe (André Bankoff) e se torna a mais poderosa rainha de Israel. Aproveitando do perfil fraco e submisso do marido, a moça passa a comandar com tirania o reino e manipular todos à seu redor, autointitulando uma grande sacerdotisa e porta-voz divina, além de recorrer à violência e sacrifícios públicos para mostrar sua soberania. Ela tem como aliados o cruel Hannibal (Rafael Sardão), seu amante e principal guerreiro, e Thanit (Mônica Carvalho), sua ambiciosa melhor amiga, que a influencia com planos cada vez mais bárbaros, além de Baltazar (Alexandre Slaviero), um ex-profeta casado com Temima (Juliana Schalch), a quem trata com machismo e inferioridade. O maior contraponto da rainha é o profeta Elias (Iano Salomão), que tenta desmascará-la e tirá-la do poder com o auxílio de diversos aliados. Isso faz com que Jezabel contrate a ninfeta Dido (Juliana Xavier) para seduzir Eliseu (Ronny Kriwat), discípulo de Elias, para descobrir os planos do profeta.  Também na luta contra a rainha estão Isaac (Leonardo Miggiorin), Matheus (Bernardo Velasco) e Obadias (Juan Alba) administrador do palácio que trabalha como espião em favor da luta dos profetas contra a rainha má, além de viver um drama com suas filhas Joana (Camila Mayrink), que se tornou prostituta, e Samira (Laís Pinho), que foi sequestrada há anos. Queila (Juliana Knust), viúva do falecido irmão de Jezabel, é vista como uma ameaça pela rainha, aos olhos do povo, por sua doçura, e passa a viver reclusa com seu filho sob a vigia do general Barzilai (Timóteo Heiderick), com quem acaba vivendo um intenso romance, embora tenha que resistir das investidas de Hannibal. Já Aisha (Adriana Birolli) é a bondosa primeira esposa de Acabe, que o ama verdadeiramente e tenta fazer o rei perceber que é manipulado por Jezabel, se tornando o principal alvo do ódio da rainha dentro do palácio. Ainda há outras histórias, como de Hannah (Juliana Boller), uma camponesa noiva de Tadeu (Victor Sparapane), mas alvo constante das investidas do irmão deste, Abner (Daniel Blanco), capaz de tudo para tê-la. O pai dos irmãos, Nabote (Flávio Galvão), sofre com a tentativa de Jezabel de tomar à todo custo sua vinha por capricho. Os pais de Hannah e Eliseu, Safate (Giulio Lopes) e Dalila (Narjara Turetta), vivem uma humorada relação, uma vez que ele sempre tem que esconder a comida para a esposa não devorá-la descontroladamente. Levi (Léo Cidade) é ajudante do explorador Phineas (Eduardo Lago) em sua loja de ídolos, e vive um romance atrapalhado com a temperamental Leah (Bárbara Maia). Já Raquel (Sthefany Brito) é uma moça à frente do tempo que não pensa em casamento e quer trabalhar fora, mas se apaixona à primeira vista por Micaías (Guilherme Dellorto). A chegada de Jezabel a Samaria traz uma nova crença a pagã. Isso faz com que o profeta Elias (Iano Salomão) inicie uma caminhada em direção à região, com o objetivo de trazer de volta a crença em um só Deus. Ele conta com o apoio do ajudante Dov (Andrey Lopes), o atrapalhado braço direito do profeta, que, em contraponto aos dramas.  Dov é israelita, morava na mesma aldeia que Elias e perdeu a família ainda menino. Um cara alegre, engraçado e que não pode ver comida na frente. Tem Elias como um pai e uma grande referência. Acaba virando seu ajudante, um ajudante um tanto atrapalhado, porém muito fiel. Vocês podem esperar muita risada, cenas de ação e algumas que dá até para cair uma lágrima do rosto. A união dos povos é importante, em termos de estratégia militar, política e econômica. Mas, para que o casamento ocorra, Jezabel exige que Acabe construa um templo de adoração a Baal e um poste-ídolo de Aserá. Assim, a idolatria se espalha e se fortalece entre o povo, que abandonou a Deus.  Os israelitas fiéis são poucos, e eles fazem o possível para que o povo se arrependa dos seus maus caminhos e de suas injustiças, mas a maioria está irredutível. Elias se opõe firmemente contra o rei e sua noiva fenícia e avisa que, se a idolatria continuar em Samaria, haverá uma terrível seca. Jezabel fica furiosa com a afronta e ordena a morte de todos os profetas de Deus, inclusive a de Elias. Ocorre um verdadeiro massacre e centenas de profetas e discípulos de Deus morrem pela espada dos soldados de Jezabel. Contudo, 100 deles conseguem escapar. E, com a ajuda de um homem íntegro e temente a Deus, chamado Obadias (Juan Alba), administrador do palácio, eles ficam escondidos e são alimentados por ele em duas cavernas. Já Elias recebe um aviso de Deus e vai para o rio Querite. Ali, junto do seu ajudante, Dov (Andrey Lopes), o profeta é alimentado por corvos, que lhe levam pão e carne, pela manhã e pela noite. Como profetizado, a seca logo chega e se instala, e são os mais pobres que mais sofrem. Para conseguir sobreviver, ao longo dos 3 anos e meio de miséria e privação, o povo passa a roubar, matar e a cometer vários atos de loucura. É nesse cenário desolador e de desespero, em busca de água e comida, que as pessoas começam a mostrar quem realmente são. É aí que vemos alguns personagens, tidos até então como fiéis, traindo, mentindo, roubando e se rebelando, para a surpresa de muitos. E Jezabel, que é a grande vilã, conduzirá a maior parte das ações. Entre elas, manipulará o rei Acabe, para que este sempre faça o que ela deseja. Ela arma um plano, por exemplo, para que Barzilai (Timóteo Heiderick), um honesto general israelita, caia do seu posto a fim de que o seu amante, o general fenício Hannibal (Rafael Sardão), seja nomeado como comandante geral do exército unificado de Israel e Fenícia. Isso causará atritos e disputas entre ele e Barzilai. Acabe, que já vinha afastado dos ensinamentos de Moisés, se tornará cada vez mais um idólatra e mais manipulado por Jezabel. Jezabel influenciará, ainda, as pessoas a cometerem muitas maldades e a traírem os próprios princípios, mas somente aqueles que não são definidos em seu caráter e em sua fé se deixarão persuadir e farão, até mesmo de forma inconsciente, o que ela tanto quer. Jezabel, enfim, será a personificação do mal, que não obriga ninguém a nada, mas lança a sua semente, e a pessoa decide se vai fazer o que ela quer ou não, pois tem o poder de escolha. No auge da seca, o templo de Baal e o poste-ídolo de Aserá ficam prontos, e Acabe e Jezabel finalmente se casam. Com o casamento do rei Acabe com a agora, rainha Jezabel, o que parecia ruim, piora de vez, porque Jezabel passa a exigir que todos, por decreto real, passem a adorar Baal e Aserá, e para fazer com que o povo não se rebele, ela o compra com água e ração. Muitos, para não passarem ainda mais fome, e também por já estarem corrompidos na sua fé, aceitam adorar os deuses pagãos em troca de alimento. Além disso, para mostrar que não esqueceu a afronta do profeta Elias, ela ordena que haja sacrifícios de crianças, fazendo com que todos fiquem desesperados. Este ambiente de tensão e conflito envolve toda Samaria, que se transformou em um verdadeiro caos. Uns apoiando e outros rechaçando as atitudes do rei Acabe e da princesa fenícia. Manifestações contrárias e favoráveis dividem os israelitas. 

Jezabel exige a presença do profeta Elias

Enquanto isso, em Jezreel, cidade não tão próxima dali e que não sofre com a seca, Nabote (Flávio Galvão) e sua família cultivam uvas em sua vinha. Seu vinho é o melhor da região e muito apreciado pelo rei de Israel. Em uma das idas de Nabote e seu filho, Tadeu (Victor Sparapane), ao palácio, para levar vinho, Jezabel se encanta por Tadeu e não sossega enquanto não consegue seduzi-lo.
Tadeu, que é casado com Hannah (Juliana Boller), vai se deixando envolver pela sedução implacável da rainha, e a questão que fica é será que Tadeu, tão apaixonado por sua esposa, vai traí-la com Jezabel. Mas não existe somente este impasse. Muitos casais também terão que provar o seu amor diante de tudo o que vem ocorrendo. Por exemplo, será que o amor resistirá à impetuosidade de Raquel (Sthefany Britto), uma israelita boa, porém temperamental, Micaías (Guilherme Dellorto), seu noivo, irá aceitar se casar com alguém que sempre troca os pés pelas mãos? Haverá confiança nesse relacionamento? E quanto a Barzilai e Queila (Juliana Knust), será que o amor deles resistirá a tanta injustiça por parte de Jezabel? Barzilai se apaixona pela fenícia Queila, viúva e cunhada de Jezabel.  Queila adoece assim que chega a Samaria com Jezabel e sua comitiva. Ela é mãe de Baruch, filho de Hailama, irmão de Jezabel, morto em uma batalha na trama da Record. Por medo de que a doença se espalhe pelo palácio, Acabe ordena que Barzilai, seu general, cuide de Queila, em sua casa, que fica fora do palácio. Barzilai, a princípio, não gosta, mas, com a convivência, o casal acaba se apaixonando, mas esse amor terá que enfrentar muitos obstáculos até se firmar. Um deles é a ida de . Ela foge para lá, com a ajuda de Barzilai, depois que ela revela a Acabe a trama de Jezabel para prejudicar o general. Jezabel fica furiosa com a traição da cunhada e a deporta para a Fenícia, mas ela consegue fugir para Sarepta, com o filho. Ali, ela e Baruch sofrem com a miséria que reina na região. Mas, um dia, quando ela vai colher gravetos para fazer a última refeição com o filho, ela encontra Elias, que foi até ela, por ordem de Deus, a fim de alimentá-la. É quando ocorre o milagre da multiplicação da farinha e do azeite. Elias fica hospedado com Queila por um período, até que Baruch adoece e morre. Queila se desespera e Elias ora em Baruch, que ressuscita, para a felicidade de sua mãe.  Na caçada a Elias, que a essa altura já recebeu uma nova ordem de Deus e foi embora de Sarepta, Hannibal encontra Queila. Muitas revelações são feitas e Queila volta para Samaria, com a ajuda do general fenício. Ao voltar para Samaria, escondida, Queila conta a Barzilai um fato sobre o seu passado que o deixa chocado. Apesar da grande decepção do general israelita, ele não deixa de amá-la. A seca já castiga Israel há mais de três anos. Acabe é informado que os seus cavalos estão morrendo por falta de alimento e decide, junto com Obadias, procurar erva para salvar a vida dos seus animais. É nessa busca por ervas que ele encontra Elias, que afirma que todo o povo deve se reunir no Monte Carmelo, junto com os mais de 800 profetas de Baal e Aserá. Ali, o profeta provará que só Deus é SENHOR. Acabe aceita e todo o povo é convocado na Record. No monte, Elias propõe um desafio que os profetas de Baal coloquem um cordeiro sobre um altar de pedras e invoquem Baal para que mande fogo do céu e consuma a oferenda. Mas os profetas, mesmo depois de clamarem muito e se autoflagelarem, não conseguem obter resposta. Elias, porém, clama a Deus e, no mesmo instante, o fogo cai, consumindo o seu cordeiro, e assim fica provado que existe apenas um Deus. Elias mata os profetas de Baal, aumentando a fúria de Jezabel, que ordena a sua morte. Elias, que acreditava que Acabe se voltaria novamente a Deus depois do desafio, é tomado por uma enorme tristeza ao saber que o rei não se opôs à ordem de sua esposa. Ele segue para o deserto e se refugia no Monte Horebe. Enquanto isso, a prosperidade volta a Samaria, pois a seca chegara ao fim. Há água e alimento, as pessoas voltaram a sorrir e a viver, mas muitos continuam apegados à idolatria, e outros, por terem perdido sua família, se revoltam, passando a fazer coisas que jamais pensaram em fazer. O tempo passa e Jezabel engravida de Acazias, herdeiro do trono de Acabe. Este é avisado de que o exército sírio está marchando rumo à Samaria. O rei se lembra do motivo pelo qual se casou com Jezabel: ele temia o poder assírio, por isso queria fazer aliança com a Fenícia. Ele fez o acordo e se casou com Jezabel, mas, agora, quem deseja atacar Israel é a Síria, que se aproxima poderosa. Os mensageiros do rei sírio, Ben-Hadade, vão até Acabe e lhe informam que ele deve entregar suas mulheres e suas riquezas na Record. Acabe avisa que assim o fará. Contudo, Ben-Hadade decide exigir mais. Naamã (Pedro Henrique Moutinho), capitão do exército da Síria, entra disfarçado em Samaria. Mas ele é visto por Samira (Lais Pinheiro), filha mais nova de Obadias, e serva do palácio. Antes que ela possa denunciar a sua presença, Naamã sequestra a moça. Enquanto isso, Jezabel convence Acabe a lutar e a expulsar os sírios. Acabe envia mensageiros ao rei sírio dizendo que não lhe dará nada! Ao ouvir do profeta Inlá (Leonardo Franco), pai de Micaías, que Deus entregará os sírios em suas mãos, Acabe resolve ir pelejar. Sob orientação da palavra do Senhor, o rei Acabe impetra um ataque contra Ben-Hadade, invadindo o acampamento dos sírios enquanto estes bebem. Naamã avisa ao rei Ben-Hadade do ataque dos israelitas e este consegue escapar. Na fuga, Naamã leva consigo Samira.

Após tentar todos os recursos, Naamã continua muito doente por conta da lepra.
Samira sugere que Zara o convença a procurar Eliseu para curá-lo. 

Acabe e seus comandantes festejam a vitória, mas Inlá, o profeta, fala novamente ao rei, em Nome do Senhor, alertando-o que dali a um ano a Síria o atacará novamente. No monte Horebe, Deus fala com Elias e o reanima. Ali, ele recebe novas instruções. Elias então parte para cumprir as ordens do Senhor na trama da Record. Nesse interim, Samaria desfruta de um tempo de paz. Soldados se preparam para enfrentar a Síria, em menos de um ano Jezabel está na gestação de seu segundo filho, Jorão, que nascerá em alguns meses, mas mesmo assim não esquece seu plano de vingança contra Elias. Elias, finalmente, chega em Jezreel e encontra Eliseu lavrando a terra. Ao encontrá-lo, Elias coloca sobre ele o seu manto. Eliseu logo compreende que o sucederá, que aquele é um chamado e que deve partir com Elias. Antes, Eliseu pede para se despedir de seus pais. Isto feito, Eliseu parte com Elias. Um ano depois, a Síria ataca Israel e, mais uma vez, o Senhor promete a vitória a Acabe. A batalha se desenrola nas cercanias de Afeca. Também, mais uma vez, Ben-Hadade consegue escapar e se esconde na cidade. Um dos servos do rei sírio sugere que eles se disfarcem e cheguem até o rei Acabe pedindo clemência. Assim o fazem e Acabe fecha uma aliança com Ben-Hadade. Micaías, em Nome de Deus, diz a Acabe que ele deveria ter matado o rei sírio e não feito um acordo com ele. Por isso, sua vida será dada em lugar da dele. Entristecido com as palavras de Micaías, Acabe vai para o seu palácio de marfim, em Jezreel, que fica ao lado das vinhas de Nabote. De seu palácio, o rei cobiça a próspera terra de Nabote e decide comprá-la. Porém, como é proibida, por lei, a comercialização de terras dadas por heranças, Nabote se recusa a vender. Não satisfeita com a recusa, Jezabel arma um maligno plano para matar Nabote e ficar com a propriedade dele. Elias, que estava próximo a Samaria com Eliseu, recebe a palavra do Senhor, que lhe ordena a ir até Acabe, que se encontra na vinha de Nabote. O profeta prediz uma série de acontecimentos trágicos na vida do rei, por ele viver permitindo as maldades de sua esposa, Jezabel. Entre eles, está a morte do próprio Acabe e de Jezabel. Acabe se humilha a Deus, no folhetim da Record, e Ele fala a Elias que não trará todo o mal que prometeu a ao rei, mas aos filhos dele. Algum tempo depois na novela da Record, o rei de Judá, Josafá, visita Samaria, a convite do rei Acabe, que pede que os dois reinos se unam para retomar da Síria a cidade de Ramote-Gileade. Josafá pede que ele consulte primeiro a palavra do Senhor. Acabe faz a consulta com falsos profetas e eles dão a vitória como certa. Josafá, porém, pergunta se em Samaria não há um profeta do Senhor. Acabe manda vir Micaías, mas alerta Josafá que este profeta nunca prediz nada de bom para ele. Micaías revela que seus falsos profetas foram enganados por um espírito, que fez com que eles dissessem ao rei uma mentira sobre sua vitória. Ao ouvir Micaías dizer isso, o falso profeta Zedequias (Paulo Gabriel) se enfurece e o esbofeteia. Acabe ordena a prisão de Micaías e que sua liberdade seja dada somente quando ele voltar vitorioso, depois de tomar de volta Ramote-Gileade! Jezabel incentiva o marido a aproveitar a guerra para se livrar do rei de Judá. Com isso, não só reconquistaria Ramote-Gileade, como também unificaria os Reinos do Norte e do Sul, sendo seu rei. No dia da guerra contra a Síria, Acabe se disfarça de soldado comum, para não ser reconhecido pelos sírios, e pede que Josafá vá vestido com suas vestes reais. Assim, ele será confundido com Acabe e morrerá, pois será mais fácil Josafá, vestido de vestes reais, se tornar alvo das flechadas sírias do que um soldado comum, misturado entre os demais. Porém, uma flechada a esmo acerta um brecha da armadura de Acabe, e ele morre, conforme predisse Elias. Anos depois, Acazias, filho de Jezabel e Acabe, assume o trono ao lado de Jezabel. Acazias e seu irmão Jorão são como água e vinho. Não se dão bem, discordam dos rumos que o reino de Israel tem que tomar, Jorão quer acabar com o templo de Baal e o poste-ídolo de Aserá, mas Acazias não concorda. Ao chegar a informação de que Moabe pretende invadir Samaria, Jezabel convence Acazias a enviar Jorão para conversar com o rei daquele lugar. Sua intenção é que o filho Jorão morra nas mãos do rei de Moabe. Jezabel não quer perder o templo, o instrumento de dominação dela na trama bíblica da Record. Jorão parte e, em seguida, o rei Acazias sofre um acidente doméstico. Incentivado por Jezabel, Acazias envia mensageiros para consultar Baal-Zebube, deus de Ecrom, para saber se ele se curará. Os mensageiros, porém, são interceptados por Elias, que pergunte se não há Deus em Israel. Assim, Elias faz os mensageiros voltarem para Samaria do meio do caminho. Lá chegando, Acazias indaga por que eles retornaram. Os mensageiros falam do encontro com Elias e o que ele lhes disse: que Acazias morrerá. Jezabel explode de ódio! O rei, incentivado por sua mãe, manda que matem Elias! Vários capitães do exército são enviados até Elias, mas todos morrem. Apenas o último, que se humilha, consegue fazer com que Elias vá até o rei. Ali, Elias confirma as palavras do Senhor. A profecia se cumpre e Acazias morre. Jezabel, no sepultamento do filho, jura vingança contra Elias! Um tempo depois, Elias diz que Eliseu pode lhe pedir o que quiser. Eliseu pede que receba em dobro o espírito de Elias. O profeta, então, responde que, se a Eliseu for concebida a bênção de ver Elias sendo arrebatado, o pedido dele será atendido. E vão os dois andando até que Elias é arrebatado em um redemoinho. Eliseu passa a substituir Elias e a fazer vários milagres, entre eles, a cura de Naamã. Quando este contrai lepra, Samira fala a ele que Eliseu, o profeta, pode curá-lo. Naamã procura Eliseu, que manda que ele se banhe sete vezes no Rio Jordão. Naamã é curado e dá a liberdade à Samira. Eliseu, por ordem divina, unge Jeú, um comandante israelita, rei de Israel. Jorão, segundo filho de Acabe e Jezabel, já reina há doze anos em Israel. Nesse período, muitas guerras e conquistas foram realizadas por ele, principalmente no território de Moabe. Porém a questão de Ramote-Gileade e da Síria permanece sem solução. Em uma dessas batalhas, Jorão é ferido e volta para se curar em Jezreel. Jeú, então, parte com sua tropa rumo àquela cidade. Ali, Jorão está recebendo a visita do rei Acazias, filho de sua irmã, Atália, com o rei Jorão, de Judá, quando um soldado lhe diz que uma tropa se aproxima. Jorão envia um mensageiro até Jeú para perguntar se ele está indo até o rei em paz. Jeú mata o mensageiro. Jorão, rei de Israel, e Acazias, rei de Judá, vão até Jeú, que se encontra na vinha de Nabote. Ali, ele o mata e joga o corpo dele nas terras de Nabote, como dizia a profecia de Elias. Jeú segue em direção a Jezreel, e Jezabel, no palácio, é informada da morte de Jorão e da aproximação de Jeú. Ela, com a ajuda de suas servas, se embeleza para tentar seduzir Jeú. Mas, quando este entra pelos portões do palácio, pede que lancem Jezabel da janela. Alguns eunucos a jogam de lá e Jeú a atropela com o seu cavalo. Jezabel tem uma terrível morte, pois sua carne é devorada pelos cães. E, assim, sua história chega ao fim na Record que apostará com tudo em sua nova produção para desbancar sua concorrência. 

Após matar Jorão, Jeú segue para o palácio de Samaria ao encontro de Jezabel. Ele pede que os servos joguem Jezabel da sacada e é atendido: a rainha morre e, assim como havia anunciado Elias, é devorada pelos cães.

Exibição

Originalmente pretendia-se estrear Jezabel no final de 2017, porém na época a emissora decidiu focar apenas nas telenovelas e na terceira temporada de Conselho Tutelar. Em outubro de 2018 foi decidido que estrearia em abril de 2019, substituindo a telenovela Jesus. Em 22 de fevereiro de 2019 foi divulgada a primeira prévia e o material de divulgação passou a vincular no site da emissora, Em 1997, a Record produziu uma minissérie a partir do mesmo enredo, O Desafio de Elias, na qual o profeta Elias (Guilherme Linhares) era o protagonista. Jezabel foi vivida por Sônia Lima.

Audiência

Jezabel ficou aquém da repercussão esperada, finalizando com média de audiência de apenas 7,3 pontos no Ibope da Grande São Paulo, amargando durante toda a sua exibição a terceira colocação no horário, um número ainda menor que o da criticada Apocalipse. Foi uma queda de audiência de 26% quando comparada com o desempenho da novela anterior na faixa, Jesus que fechou em 10 pontos. Em seu primeiro capítulo, Jezabel marcou 11 pontos de média com picos de 13, mantendo o segundo lugar. Durante a primeira semana, no entanto, a trama caiu sucessivamente na audiência, atingindo na sexta-feira apenas 7,3 pontos, representando uma queda de 32% desde a estreia. Em 3 de maio marcou 6,8 pontos, a menor audiência desde Apocalipse. Seus menores índices foram registrados em 31 de maio e 7 de junho, quando marcou apenas 5,7 pontos. Reagiu ao marcar 10 pontos no dia 24 de junho. O último capítulo registrou 10 pontos. Teve media geral de 7,4 pontos, a pior desde Vitória, em 2015, que fechou com 5,8. “Jezabel” bateu novo recorde negativo e marcou apenas 6,4 pontos. O número fica abaixo do pior resultado da sua antecessora, “Jesus“, que chegou a marcar 6,6 pontos. Exibida das 20h55 às 21h5, “Poliana” marcou 11,4 pontos de média, 16,2% de share e 13 pontos de pico sobre Jezabel, que marcou 7,2 pontos de média e ficou no terceiro lugar.

Repercussão

Com cenas de violência excessiva, a trama surpreendeu o público e não passou despercebida pela Classificação Indicativa do Ministério da Justiça. Por conta do final trágico, a produção acabou sendo reclassificada, pois as imagens de decapitação e mutilação da protagonista, vivida por Lidi Lisboa, foram consideradas não adequadas para a classificação de 12 anos. De acordo com um comunicado do Diário Oficial da União, a telenovela antes tida como “12 anos”, foi alterada para “menores de 14 anos” após o seu término, uma vilã com todo o potencial para atrair público de novelas. Porém, não é do interesse da Record transformar em “queridinha” uma megera que matava judeus. Jezabel será apenas uma vilã que deve ser odiada. Para isso, os mocinhos precisam ganhar simpatia do público. Não é de hoje que os vilões têm exercido verdadeiro fascínio sobre a audiência, podemos dizer. Há quase 15 anos, quando escreveu Belíssima, Silvio de Abreu já declarava que o público mudava sua percepção dos vilões e até torcia por eles sem maiores dificuldades. Todavia, não foi o que ocorreu em se tratando de Jezabel.

Criticas 

Atores de “Jezabel” saem em defesa de Lidi Lisboa após polêmica Os atores de “Jezabel”, da Record, decidiram sair em defesa de Lidi Lisboa, que vive a protagonista da novela bíblica e tem sido criticada por seu temperamento e atuação nas redes sociais. Além disso, a atriz também virou alvo de comentários nos bastidores. Segundo a colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, a artista não tem gostado da carga de trabalho que tem realizado nos dias de gravações, que ocorrem em Paulínia, São Paulo, e dá meia volta quando bem entende. Quando se cansa de atuar, a protagonista afirma que já deu seu horário no dia e simplesmente vai embora, deixando tudo e todos para trás. Como não tem o que fazer, a equipe da trama é obrigada a cancelar o restante da gravação. Juliana Knust foi uma das profissionais da Record que defenderam a colega. Nos unimos nesse movimento lindo de amor à nossa amiga Lidi Lisboa. Porque ela merece SIM essa onda de boas energias! Mulher de fibra! Super profissional! Vivendo um momento intenso, louco mergulhada no trabalho até o último fio de cabelo”, escreveu ela.  Outra critica Basicamente, são as cenas, da novela bíblica Jezabel, mostra um desafio entre duas religiões em Israel. Uma que acreditava em Baal e a outra pré-cristã, para ver qual tinha o Deus verdadeiro. É a parte de Elias em “Reis” na Bíblia e, de fato, é uma passagem pesada. Na parte em questão, dois grupos de adoradores fazem sacrifícios e demonstrações de para provar sua fé ao rei. Os sacerdotes de Baal fazem o rito deles. Fosse culturalmente não conheço essa religião, fosse porque a emissora queria realmente mostrar que o quão horrível eram os pagãos aposto mais nisso, tudo é filmado como se eles fizessem algo profano, com caras de mau, trilha ameaçadora, tod uma direção artística para mostrar o quão bárbaros e desumanos são eles. Inclusive, colocaram referências a práticas de religiões de matriz africana, uma mensagem que de subliminar não tem nada. A velha tática de desumanizar o diferente, o inimigo, pois assim muitos evangélicos enxergam outras religiões. Depois vem a parte dos pré-cristãos. Mostra o quão santificados são eles. E claro, o Deus verdadeiro se prova sendo o deles. Era lógico que uma emissora evangélica em uma novela bíblica fosse demonizar o outro lado. Não seria ou será a ultima vez que o fazem com outra religião. É só lembrar que a emissora foi condenada esse ano pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região há de transmitir quatro programas sobre religiões de matriz africana, por ter veiculado agressões a religiões de origem africana.  A direção da novela, sem bom senso ou de propósito, glorificou esse genocídio. A trilha sonora se torna épica enquanto homens agarram uma mulher inocente, que nem devia ter uns 18 anos, e cortam seu pescoço. Homens segurando crianças e as apunhando como se as crianças fossem monstros e eles os heróis. Sim, mostram com beleza os homicídios, em horário nobre, mas a novela em particular ainda foi mais fundo e colocou isso num contexto de um povo escolhido por Deus exterminando aqueles que tinham outra crença. Não é caso de um paladino que extermina necromantes num livro de fantasia. As cenas lembravam muito mais o atirador do recente massacre numa mesquita na Nova Zelândia, que chocou o mundo. Foi além do maniqueísmo, foi a minha verdade é essa e vou matar qualquer um que não concorde. A diferença era que o atirador era um insano, mas isso aqui é toda a produção de novela. Logo, se a novela passou uma mensagem clara de que a outra religião tem quer ser exterminada e isso é o certo a fazer, usando de uma violência gráfica mais forte que a da HBO, por exemplo, isso não é algo artístico como um Tarantino ou o próprio Game of Thrones. Isso dá medo e é antiético.

Efeitos especiais Jezabel 

Para representar esse universo místico, grande parte das cenas externas foram gravadas na paisagem marroquina com equipamentos de última geração. Na verdade, 98% das externas foram gravadas no Marrocos e, quase todas as internas foram gravadas nos estúdios de Paulínia interior de São Paulo, porém, tivemos muitas cenas de estúdio também no Marrocos. Isso é um fato inédito em um projeto de 80 episódios com tantas cenas feitas na África“, conta o diretor Alexandre Avancini, responsável pelo sucesso de “Os Dez Mandamentos” Record TV. Além das gravações em paísagens de tirar o fôlego, os atores e produtores tiveram a oportunidade de conhecer uma cultura totalmente diferente da brasileira. Já fiz um filme em Buenos Aires, mas a experiência no Marrocos foi completamente diferente e transformadora pra mim. Poder ter contato com a cultura, espiritualidade, comida, o povo, enfim, isso mexeu muito com a gente, cria uma atmosfera, é como se tudo isso ficasse dentro de nós, acabamos carregando tudo isso”, ressalta Leonardo Miggiorin, que interpreta Isaac, um jovem israelita, que tem medo de ser vítima das maldades de Jezabel.  A vivência em Marrocos influenciou muito nos cenários montados em Paulínia. Ao todo foram usados 56 cenários e 31 estúdios para as gravações. Achei muito importante nós começarmos as externas por Marrocos, conseguimos trazer bastante coisa desse ambiente, onde foram feitas imagens lindas. Como vivemos praticamente um mês no Marrocos, conseguimos trazer toda essa experiência e ambiente para dentro dos estúdios, conta Juan Alba, que dá vida ao Obadias, o administrador do palácio do rei Acabe. 

Elenco Atriz, ator / Personagens 

  • Lidi Lisboa /Jezabel, Rainha de Israel
  • André Bankoff /Acabe, Rei de Israel
  • Iano Salomão /Elias
  • Adriana Birolli /Aisha, Lady Consorte de Israel
  • Juliana Knust/ Queila
  • Rafael Sardão /Hannibal
  • Mônica Carvalho /Thanit
  • Juan Alba /Obadias
  • Sthefany Brito /Raquel
  • Guilherme Dellorto /Micaías
  • Flávio Galvão /Nabote
  • Beth Zalcman /Elza
  • Victor Sparapane /Tadeu
  • Juliana Boller /Hannah
  • Daniel Blanco/ Abner
  • Ronny Kriwat /Eliseu
  • Timóteo Heiderick /Barzilai
  • Ricardo Pavão /Pigmaleão
  • Brendha Haddad/ Anaid
  • Camila Mayrink /Joana
  • Pedro Lamin /Sidônio
  • Juliana Schalch /Temima
  • Eduardo Lago/ Phineas
  • Andréa Avancini /Yarin
  • Henri Pagnoncelli /Emanuel
  • Narjara Turetta /Dalila
  • Giulio Lopes /Safate
  • Talita Castro /Rebeca
  • Leonardo Franco /Inlá
  • Leonardo Miggiorin /Isaac
  • Fernanda Nizzato /Adama
  • Igor Cosso /Miguel
  • Laís Pinho /Samira
  • Pedro Henrique Moutinho /Naamã
  • Juliana Xavier /Dido
  • Hylka Maria /Getúlia
  • Alinne Prado /Batnoam
  • Bernardo Velasco /Matheus
  • Daniel Erthal /Thiago
  • Léo Cidade/ Levi
  • Bárbara Maia /Leah
  • Fernando Sampaio /Uriel
  • Fábio Scalon /Ib
  • Marcéu Pierroti /Geazi
  • Dudu Pelizzari /Kaleb
  • Paulo Leal/ Zaniel
  • Alex Brasil/ Jarbas
  • Andrey Lopes /Dov
  • João Pedro Novaes /Adad
  • Edu Porto /Jaali
  • Willian Mello /Samuel
  • Cássio Nascimento /Cadmo
  • Mario Hermeto /Joel
  • Gabriel Moura /Saulo
  • Paulo Gabriel /Zedequias
  • Gianlucca Mauad /Baruch

Participações especiais Atriz, ator / Personagens

  • Alexandre Slaviero /Baltazar
  • Anna Rita Cerqueira /Milena
  • Bruno Ahmed /David
  • Carolina Oliveira /Atália, Rainha de Judá
  • Norival Rizzo /Asa, Rei de Judá
  • Arthur Kohl /Onri, Rei de Israel
  • Rachel Ripani /Zara
  • Marcelo Várzea /Menahem
  • Vitor Hugo /Jeremias
  • Guilherme Lopes /Baruque
  • Jacques Lagôa/ Sábio das Dunas
  • Giácomo Pinotti /Josafá, Rei de Judá
  • Marcus Bessa /Jeorão, Rei de Judá
  • Luciano Quirino /Etbaal, Rei da Fenícia
  • Breno de Filippo /Ben-Hadade II, Rei da Síria
  • Samuel de Assis /Hazael, Rei da Síria
  • Diyo Coêlho /Jorão
  • Fernando Val /eú
  • Willean Reis /Acazias, Príncipe de Israel
  • Ruan Aguiar /Acazias, Príncipe de Judá
  • Denis Doná/ Baruch (adulto)
  • Rodrigo Moraes /Hailama, Príncipe da Fenícia
  • Luckas Moura/ Noam
  • Armando Amaral /Gilad
  • Fran Elmor /Eloah
  • Lincoln Tornado /Abbas
  • Gabriel Felipe /Ezri
  • André Bicudo/ Yakir
  • Munir Pedrosa /Omar
  • Gutto Ordoz/ Benyamin
  • Patrick D’Orlando /Tobias

Trilha sonora

  • Jezabel / Léo Brandao e Daniel Figueiredo
  • Fenícia / Raphael Batista e Elton Ricardo
  • Rei Acabe / Léo Brandao e Daniel Figueiredo
  • Indefinidos / Ronaldo Lobo
  • Vinhas de Nabote / Randall Ledermann e Igor Ledermann
  • Profetas /Daniel Figueiredo
  • Samaria  /Music Solution
  • Exótica  /Daniel Figueiredo
  • Gileade  /Ronaldo Lobo e Daniel Figueiredo
  • Encantamento  /Igor Ledermann e Daniel Figueiredo
  • Monte Horebe / Rannieri Oliveira
  • Só o Senhor é Deus  /Rannieri Oliveira e Daniel Figueiredo
  • Harém  /Raphael Batista e Léo Brandao
  • Guerras  /Raphael Batista e Daniel Figueiredo
  • Desafio de Elias  /Léo Brandao e Daniel Figueiredo
  • Decisões /Rannieri Oliveira e Daniel Figueiredo

Fotos

Aisha (Adriana Birolli)
Na macrossérie ‘Jezabel’, Aisha (Adriana Birolli) é uma das mulheres do rei Acabe (André Bankoff). Dona de personalidade dócil e humilde, a jovem é temente ao Criador
No capítulo desta quarta-feira (31) de Jezabel, o embate entre os dois exércitos finalmente acontece
No capítulo desta quarta-feira (31) de Jezabel, o embate entre os dois exércitos finalmente acontece
O desafio de Elias
O rei Acabe, instigado por Jezabel, aderiu ao culto a Baal, levando todo o povo à idolatria. Elias, no seu encontro com Acabe, pediu-lhe que reunisse, no monte Carmelo, todo o Israel, os 450 profetas de Baal e os 400 de Aserá, que comiam na mesa de Jezabel. Ali, Elias disse ao povo: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-O; e se for Baal, segui-o. Porém, o povo não respondeu nada.
Na sexta 26 07, uma voz manda Elias encontrar o rei Acabe para ajudá-lo
Na sexta 26 07, uma voz manda Elias encontrar o rei Acabe para ajudá-lo
Micaías (Guilherme Dellorto) é o filho do profeta Inlá (Leonardo Franco) que terá um romance com Raquel (Sthefany Brito) e irá se tornar também profeta para encarar o rei Acabe (André Bankoff)
Micaías (Guilherme Dellorto) é o filho do profeta Inlá (Leonardo Franco) que terá um romance com Raquel (Sthefany Brito) e irá se tornar também profeta para encarar o rei Acabe (André Bankoff)
Pedro Lamin é o soldado Sidônio, um mau caráter, fiel ao general Hannibal (Rafael Sardão)
Pedro Lamin é o soldado Sidônio, um mau caráter, fiel ao general Hannibal (Rafael Sardão) que irá seduzir Joana (Camila Mayrink)
Phineas (Eduardo Lago)
Phineas (Eduardo Lago) é um próspero comerciante que nunca seguiu os mandamentos de Moisés. No trabalho, explora o empregado, Levi (Leo Cidade)
Queila (Juliana Knust) esconde algo sofrido do passado. Se apaixona por Barzilai (Timóteo Heiderick) ao ser curada por ele e trai Jezabel (Lidi Lisboa)
Queila (Juliana Knust) esconde algo sofrido do passado. Se apaixona por Barzilai (Timóteo Heiderick) ao ser curada por ele e trai Jezabel (Lidi Lisboa)
'Jezabel Acabe e princesa fenícia se casam e Elias faz milagre com pão e azeite
‘Jezabel Acabe e princesa fenícia se casam e Elias faz milagre com pão e azeite
Jezabel' Levi (Leo Cidade) é apaixonado por Leah (Barbara Maia), com quem vive amor impossível
Jezabel’ Levi (Leo Cidade) é apaixonado por Leah (Barbara Maia), com quem vive amor impossível
Dido (Juliana Xavier) é uma fenícia serva de Jezabel (Lidi Lisboa), invejosa, vaidosa e que faz de tudo para defender sua patroa
Dido (Juliana Xavier) é uma fenícia serva de Jezabel (Lidi Lisboa), invejosa, vaidosa e que faz de tudo para defender sua patroa
Emanuel (Henri Pagnoncelli) é marido de Yarin (Andrea Avancini), pai de Raquel (Sthefany Brito) e Noam (Luckas Moura), cuja morte o fará enfrentar Micaías (Guilherme Dellorto), namorado de sua filha
Emanuel (Henri Pagnoncelli) é marido de Yarin (Andrea Avancini), pai de Raquel (Sthefany Brito) e Noam (Luckas Moura), cuja morte o fará enfrentar Micaías (Guilherme Dellorto), namorado de sua filha
Elias (Iano Salomão) mata Thanit (Mônica Carvalho) em Jezabe
Elias após invocar a Deus e ter reposta do céu com fogo sobre o holocausto, persegue os fenícios e mata um a um e Thanit não escapa do golpe, sendo morta pelo profeta. A cena está prevista para ir ao ar no capítulo desta segunda-feira (24).
elenco de Jezabel — nova superprodução da emissora. Rafael Sardão, Mônica Carvalho e Alexandre Slaviero integram a lista de grandes atores da trama.
elenco de Jezabel — nova superprodução da emissora. Rafael Sardão, Mônica Carvalho e Alexandre Slaviero integram a lista de grandes atores da trama.
A equipe de Jezabel, produção bíblica da RecordTV, está passando por algumas dificuldades nas gravações finais do folhetim
A equipe de Jezabel, produção bíblica da RecordTV, está passando por algumas dificuldades nas gravações finais do folhetim
A princesa Jezabel e seu pai, o rei Etbaal, tramam a morte do rei Onri
A princesa Jezabel e seu pai, o rei Etbaal, tramam a morte do rei Onri. Após a morte do Rei Onri, Acabe anuncia que será ungido Rei de Samaria. O pronunciamento deixa algumas pessoas confusas e preocupa israelitas como Obadias, que teme a idolatria de deuses pagãos na cidade
a tropa da Síria avança sobre o exército de Israel no capítulo de segunda-feira, 22 de julho de 2019
a tropa da Síria avança sobre o exército de Israel no capítulo de segunda-feira, 22 de julho de 2019.
Acabe (André Bankoff) acompanhado de Hannibal (Rafael Sardão) e outros soldados estão prontos para a guerra. Todos estão tensos, aguardando a resposta à pergunta feita pelo rei.
Acabe (André Bankoff) acompanhado de Hannibal (Rafael Sardão) e outros soldados estão prontos para a guerra. Todos estão tensos, aguardando a resposta à pergunta feita pelo rei.
Acabe (André Bankoff)
Acabe (André Bankoff) A vida de André Bankoff enquanto protagoniza Jezabel, nova novela da Record, não está fácil. O ator já passou um período no Marrocos, longe da família e dos amigos, e agora está vivendo em Paulínia, interior de São Paulo.
elenco da novela Jezabel
Elenco da novela Jesabel
Thanit (Mônica Carvalho) é morta em Jezabe
No capítulo desta segunda-feira (24) da macrossérie Jezabel, durante o desafio de Elias (Iano Salomão) no Monte Carmelo, a sacerdotisa Thanit (Mônica Carvalho) e seus seguidores invocam Baal e Aserá até a exaustão
rituais para outros deuses não tem resposta,elias grita para gritarem mais alto quem sabe ele estava dormindo
rituais para outros deuses não tem resposta, Elias grita para gritarem mais alto quem sabe ele estava dormindo
Jazebel é atirada da sacada
Jezabel (Lidi Lisboa), é atirada da sacada, vai ter um final trágico no último capítulo da novela A rainha má terá o corpo devorado por cachorros após ser atirada de uma sacada do palácio.

 

Fonte: Wikepedia e IMDB Além da Pesquisa Site Imagoi